Dólar com. 5,086
IBovespa 2,15
04 de junho de 2020
min. 24º máx. 28º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Caixa libera saque da 2ª parcela de auxílio para nascidos em maio
22/05/2020 às 15h49

Geral

Minha Máscara: projeto cria alternativa de renda para artesãos durante pandemia

Vendas têm ajudado famílias durante o isolamento social

Divulgação

Produzir máscaras para vender tornou-se um dos meios de gerar renda para centenas de pessoas em Maceió. Atuando conjuntamente, o Gabinete da Governança da Prefeitura de Maceió (GGOV), a Secretaria Municipal de Economia (Semec) e a Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes) desenvolveram o Projeto Minha Máscara. A iniciativa tem como objetivo mapear artesãos e costureiras do Município que produzem máscaras de tecido e facilitar a identificação deles para a venda desses produtos, principalmente, dentro da própria comunidade, de forma segura.

O projeto já está em vigor e o mapa com os profissionais cadastrados pode ser acessado tanto pelo smartphone como pelo computador clicando aqui.  O usuário deve clicar no ícone verde que estiver mais próximo ao bairro que reside. Feito isso, ele será informado com o nome e o contato do artesão.

“O Minha Máscara é um projeto que foi idealizado pelas três secretarias como forma de incentivar o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico no Município, em um período onde, devido às medidas de isolamento, as compras de produtos artesanais estão em baixa. Além dos profissionais que já trabalham com isso e que dependem do artesanato, muitas pessoas recorrem a essa alternativa como um meio de complementar a renda. A Semec tem um compromisso com o incentivo ao desenvolvimento econômico e ao empreendedorismo e esta é mais uma de nossas ações”, explicou Emerson Amâncio, coordenador do Setor de Empreendedorismo da Semec.

A artesã Maria Lúcia de Oliveira, que mora no bairro de Jacarecica, contou que trabalha com artesanato há três anos e que viu na produção de máscaras a oportunidade de complementar a renda durante essa quarentena. “Soube deste projeto através de uma outra artesã e decidi me cadastrar. Tenho atendido muitas encomendas e as vendas têm aumentado graças a esse mapeamento. Além da segurança com a saúde, que é muito importante, eu vejo essa iniciativa também como uma forma de colocar esse tipo de empreendimento e esses profissionais em evidência e ajudar as famílias dos artesãos e costureiros dessa região”, disse.

De acordo com Íria Almeida, secretária do Gabinete de Governança da Prefeitura de Maceió, a ideia partiu do princípio de conectar as mulheres da Economia Solidária com o cidadão que precisa de máscaras.

“Com o isolamento, o ideal é que as pessoas saiam de casa o menos possível, e saber onde encontrar máscaras acaba facilitando o cumprimento dos decretos estaduais e Municipais. O mapeamento surge como ferramenta que tornou possível esta solução. É importante ressaltar que uma solução inovadora não tem a tecnologia como fim, mas sim como um meio de atuar de maneira eficiente na vida do cidadão”, destacou a secretária.

Sobre as máscaras

O uso de máscaras é umas das medidas de proteção recomendadas para que se evite o contágio pelo novo coronavírus. No entanto, as máscaras precisam atender padrões estabelecidos pelo Ministério da Saúde como, por exemplo, cobrir a região do nariz e a boca e estarem perfeitamente ajustadas ao rosto de quem as utiliza, sem espaços nas laterais.

Também recomenda-se que o uso seja individual e que as máscaras de tecido, como as produzidas pelos artesãos do Minha Máscara, sejam trocadas com frequência, sempre que fiquem úmidas e a cada duas horas de uso, além de lavadas corretamente com água e sabão. Outra opção é deixá-la de molho em um recipiente com uma solução de meio litro de água e 10ml de água sanitária para esterilização.


Fonte: scom Semec

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]