Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
17 de janeiro de 2020
min. 25º máx. 30º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Inep divulga as notas do Enem: confira
14/01/2020 às 12h04

Geral

Por valorização, policiais civis decidem pela paralisação de 72h a partir do dia 20

Todos os serviços da Polícia Civil serão paralisados durante os três dias, exceto a realização de flagrantes

Divulgação

Mais de 400 policiais civis participaram da assembleia geral na segunda-feira (13), realizada pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), e decidiram pela paralisação de 72 horas nos dias 20, 21 e 22 de janeiro.

 A paralisação é uma forma protestar contra o governo Renan Filho que trata com descaso os pleitos dos agentes e escrivães de Polícia. Na assembleia geral, o presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, relatou a negociação com o governo do Estado, informando que o secretário de Planejamento e Gestão, Fabrício Marques, comprometeu-se a apresentar o impacto financeiro do reajuste do piso salarial, o serviço voluntário, o aumento da cota do retroativo, entre outros itens da pauta de reivindicações, na segunda quinzena de janeiro.No entanto, mesmo afirmando que não concederia benefício a nenhuma categoria, o Governo enviou, no final de dezembro, o projeto de lei de serviço voluntário apenas para os delegados e também concedeu reajuste aos peritos.

 Por tratar com descaso as reivindicações, além dos agentes e escrivães receberem o pior piso salarial da segurança pública com nível superior em Alagoas, a categoria deliberou que o Sindpol focará no reajuste do piso salarial, de acordo com a média nacional dos policiais civis do Brasil, na negociação. Ricardo Nazário ressaltou importância de lutar pelo aumento do piso porque a categoria “leva” o subsídio para a aposentadoria”.

 O sindicalista informou que a chefe de Gabinete da Seplag entrou em contato para marcar a reunião com o secretário Fabrício Marques no dia 21 de janeiro, às 15 horas, no órgão estadual.

 Ricardo Nazário lembrou à categoria que iniciou a luta em 2015 pelo aumento do piso, e a efetivação ocorreu em dezembro de 2018, mas o governo não estendeu o reajuste aos aposentados e pensionista. “O Sindpol não ia deixar de fora essa parte da categoria”.

 O sindicalista disse que o governo do Estado só valoriza os delegados, acrescentando que “tudo que fazemos é para defender os agentes e escrivães”. Destacou a perseguição à escrivã, que exigiu seus direitos, trabalhando conforme o que rege o Estatuto da Polícia Civil de Alagoas.

 Da segurança pública, já obtiveram reajuste os delegados com 29%, e os policiais militares, os peritos oficiais conquistaram plano de carreira. Na assembleia, ficou definido que o Sindpol acompanhará a agenda pública do governador e divulgará o Sindpol Alerta que trata das atribuições dos policiais civis.

 A categoria também aprovou realizar inserções nas redes sociais do governador, buscando sensibilizá-lo quanto à valorização e motivação dos agentes e escrivães que enfrentam a criminalidade e estão reduzindo a violência em Alagoas. A ideia é utilizar hashtag, citando como exemplo: #GovernadorQueremosANossaValorização.

Resumo da decisão da assembleia

- Paralisação de 72 horas, nos dias 20, 21 e 22 de janeiro. Todos os serviços estarão paralisados, exceto os flagrantes.

- Sindicato definirá as medidas para o Sindpol Alerta;

- Sindpol acompanhará a agenda pública do governador;

- Inserções nas redes sociais do governador.


Fonte: Ascom Sindpol

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]