Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
24 de maio de 2019
min. 26º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Pinheiro: cadastro para saque do FGTS segue até esta sexta
24/04/2019 às 23h59

Geral

Laboratório de Genética Forense de Alagoas irá ampliar capacidade para realização de exames de DNA

Novo equipamento permite pipetagem rápida e de alta precisão reduzindo tempo e custos

A equipe do Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística de Alagoas recebeu treinamento especial para utilização do novo equipamento. - Aarão José

O Estado de Alagoas acaba de ganhar um reforço na realização de exames periciais na área de Genética Forense. O Laboratório Forense do Instituto de Criminalística passará a usar um novo equipamento, o pipetador automático da Qiagen, que permite automatizar e agilizar exames de DNA.

A estação de trabalho para pipetagem automatica de alto desempenho  já foi instalada na bancada da sala de amplificação de amostras. O equipamento foi doado para a Perícia Alagoana pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) referente ao Projeto de Modernização dos Laboratórios de Genética Forense atender a Rede.

A chefe do Laboratório de Genética Forense, Dra. Rosana Coutinho e os peritos criminais Carmélia Miranda, Dr. Marek HF Ekert, e Marina Mazanek que atuam na unidade estão passando por um treinamento para utilização dessa nova ferramenta. Inicialmente, eles irão utilizar o equipamento nas análises das amostras de de material genético dos condenados, coletadas durante mutirão no Sistema Penitenciário estadual.

O assessor científico Luís Arcieri, responsável pelo treinamento, explicou que por ser de alta capacidade e precisão, o equipamento pipetador irá ampliar o fluxo de trabalho do laboratório alagoano na realização de exames de DNA. Outra vantagem do aparelho é usar um software user friendly, que permite ao usuário manusear e programar facilmente suas atividades. 

“Ele é um aparelho muito versátil, pois consegue pipetar várias amostras de uma única vez, utilizando várias placas de pepitagem. Durante o treinamento, mostrei como programar e o funcionamento do equipamento, indicando os locais onde serão colocados as amostras, e os reagentes que o perito irá utilizar para pipetar o experimento que ele desejar fazer”, explicou Arcieri.

Além de agilizar a análise das amostras biológicas dos condenados e consequente inserção no Banco de Perfis Genéticos, para a Doutora Rosana Coutinho, o novo equipamento amplia a modernização do Laboratório na realização de todos os exames periciais relacionados à DNA. Ela destaca que cada vez mais, o laboratório vem sendo acionado para atuar em casos emblemáticos visando colaborar na investigação e elucidação de vários tipos de crimes.

“A criação recente do Laboratório de Genética Forense e a sua modernização tem como proposta avançar nos exames de DNA, colaborando diretamente no combate à criminalidade. Isso porque o resultado de uma análise dessa natureza permite de forma contundente identificar ou até mesmo inocentar suspeitos de praticarem abusos sexuais, feminicídios, homicídios e latrocínios, ou seja, é a ciência forense atuando de forma efetiva na produção de provas técnicas para elucidação desses crimes,” afirmou a chefe do laboratório.



Fonte: Ascom Perícia Oficial/AL

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]