Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
15 de novembro de 2018
min. 25º máx. 28º Maceió
nublado
Agora no Painel Prestações de contas eleitorais devem ser apresentadas até este sábado
20/10/2018 às 18h00

Geral

Laboratório leva Inmetro a ganhar prêmio na Alemanha

Um laboratório flutuante levou o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) a receber esta semana, na Alemanha, o prêmio Ceems (do inglês Countries and Economies with Emerging Metrology Systems), concedido pela Organização Internacional de Metrologia Legal (Oiml).

A Unidade Básica Fluvial do Inmetro percorre os rios para alcançar as mais distantes povoações ribeirinhas da Amazônia, levando diversos serviços. Segundo o presidente do Inmetro, Carlos Augusto de Azevedo, só é possível chegar de carro a apenas cinco municípios do Amazonas. Aos 57 restantes, apenas por barco ou avião.

“Quando a gente olhava como era feita a metrologia legal no Amazonas, era sob condições muito precárias, porque iam dois metrologistas em barco de linha”,  recordou.

Cada especialista carregava malas com instrumentos pesados para medir vazão e volume visando fazer calibração de aparelhos como balanças. Eles levavam também pastas com documentos e dinheiro.

“O barco ia parando em cada município, fazendo a escala que era possível. Isso demorava um tempo enorme e era um desgaste físico para os fiscais”, disse Azevedo. Muitos postos de combustíveis ficavam situados dentro dos rios e os fiscais do Inmetro precisavam fretar uma voadeira para levá-los até o lugar. “Era irracional”, disse.

Laboratórios

Assim, o presidente do Inmetro decidiu fazer um barco com todos os laboratórios necessários de metrologia legal. “Esse barco vai carregando as equipes e  resolvendo os problemas nos municípios. A ideia foi um sucesso”.

Segundo ele, as fiscalizações mais frequentes coibiram fraudes encontradas, por exemplo, na medição de produtos. Um quilo de farinha chegava a um município com 700 gramas. “A fraude corria solta”.

Era um sonho antigo do pessoal de Manaus ter um barco. Foi feito um projeto em estaleiros da região, que “entendem de navegabilidade”, e instalados os laboratórios no barco. Em um ano, todos os 62 municípios do Amazonas são visitados pelo Inmetro.

“A gente diminuiu a fraude, aumentou a arrecadação e deu ao pessoal oportunidade de fazer uma concorrência mais justa”, detalhou. O processo resultou em benefícios também para os consumidores da região. “Você combate a fraude e protege o consumidor”, comentou.

Passam por fiscalização balanças, bombas de gasolina, equipamentos de saúde como aparelhos de pressão e produtos da cesta básica, entre outros.

Primeiro brasileiro a ganhar o prêmio Ceems, Azevedo observou que o laboratório flutuante teve uma repercussão enorme. Ele não tem dúvidas que outros países enviarão equipes para serem treinadas no Brasil pelo Inmetro, para que possam reproduzir a Unidade Básica Fluvial da autarquia. “Isso vai trazer melhoria para as pessoas, para o comércio”.


Fonte: Agência Brasil

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]