Dólar com. R$ 3,915
IBovespa -1,03%
20 de agosto de 2018
min. 24º máx. 26º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Venezuela pede que Brasil proteja os seus cidadãos
16/05/2018 às 13h30

Geral

Cinco regras de etiqueta que eram padrão na Idade Média

Naquela época as pessoas eram muito mais grosseiras e rústicas

Na Idade Média as pessoas eram muito mais grosseiras e rústicas, como comprovam os conselhos encontrados nos livros de etiqueta da época. Através de tais juízos é possível deduzir como era a conduta daquelas pessoas.

Se a advertência, por exemplo, exorta: “Não se alivie diante das senhoras, ou na frente de portas ou janelas de casas e becos.”, significa que isso era um comportamento comum, daí a necessidade da admoestação.

1. Casar-se com uma prostituta era bom sinal

O papa Inocêncio 3º, no final do século 12, indicava que dar uma vida respeitável a uma prostituta era um grande sinal de caridade. Essas mulheres “resgatadas” tinham até uma bolsa do governo para se regenerarem. Não se sabe, entretanto, qual foi a adesão masculina a essa prática, já que se envolver com esse tipo de mulher poderia ser visto como feitiçaria.

2. Pare de rir e conquiste seu homem

A fim de impedir que os maridos saíssem todas as noites e gastassem uma nota preta nas tabernas, as mulheres eram instruídas a parar de rir – ao menos evitar as risadas mais estridentes. As mulheres deveriam ser mais moderadas e submissas, algo que “não acontece” quando elas se permitem “rir demais”.

3. Como tingir os cabelos para não perder o marido

John Baptista Porta escreveu uma série de livros, no século 16, sobre como as mulheres deveriam se comportar para seus maridos. Ele focava muito em dicas de beleza para elas não “ofenderem” seus esposos com o envelhecimento – algo que poderia até afastá-los.

O escritor indicava a tintura de cabelo para cobrir os fios brancos e acinzentados. E ele inclusive ensinava a preparar as colorações. O loiro era “facilmente” obtido misturando açafrão, cominho, palha e soda cáustica. Já a cor dos cabelos pretos ou escuros era mais difícil: incluía deixar sanguessugas de molho em um vinho tinto e depois apodrecendo ao sol durante 2 meses antes de passar essa gosma nas madeixas.

4. Como lidar com os servos

Um texto inglês ensinava que as mulheres deveriam manter seus maridos afastados de quaisquer comportamentos transgressores de seus servos. Se o criado falava mal pelas costas ou se tinha quebrado um copo, era função da patroa o conserto dessas “rebeldias”.

Já na Alemanha, um texto semelhante falava que o segredo do casal feliz era a mulher ser submissa ao marido em todos os momentos e manter seus defeitos mais obscuros escondidos – principalmente da criadagem. Além disso, elas só deveriam reportar aos seus maridos as notícias boas de sua propriedade.

5. Comportamentos durante o jantar

Daniel of Beccles descreve uma série de comportamentos a não serem efetuados com uma colher. Você não poderia brincar com uma por muito tempo nem colocá-la na comida se já a tivesse levado à boca. Outra regra importante: se você usou uma colher, devolva-a aonde encontrou.

Algumas regras de etiqueta durante as refeições chegam a ser hilárias: se você fosse um visitante, não poderia, por exemplo, fazer xixi na sala de jantar, já que esse seria um privilégio apenas do anfitrião. Cuspir, soltar uma “bufa” e assoar o nariz eram proibidos à mesa. E lembre-se: nada de catar pulgas durante o jantar.

Um manual de etiqueta chamado A Civilidade Pueril, de 1530, que se transformou em um best seller na Europa durante dois séculos. Abaixo alguns conselhos encontrados no manual:

1. Não suje as escadas, corredores, armários ou tapeçarias de urina ou outras imundícies.

2. Não se alivie diante de senhoras, ou na frente de portas ou janelas de casas em becos.

3. Não deslize para frente e para trás na cadeira como se estivesse tentando eliminar gases.

4. Não toque em suas partes pudendas sob as roupas com as mãos nuas.

5. Não cumprimente alguém enquanto a pessoa está urinando ou defecando.

6. Não faça barulho quando eliminar gases.

7. Não abra as roupas diante de outras pessoas em preparação para defecar, e não as feche depois.

8. Quando dividir uma cama com alguém em uma hospedaria, não se deite tão perto que possa tocar a pessoa nem ponha suas pernas entre as dela.

9. Se deparar com alguma coisa repugnante no lençol, não a mostre para seu companheiro, nem levante a coisa fétida para que o outro cheire dizendo “Gostaria de saber quanto isso fede”.

10. Não assue o nariz na toalha de mesa, nem nos dedos, manga ou chapéu.

11. Nã ofereça seu lenço usado a outra pessoa.

12. Não carregue o lenço na boca.

13. Também não fica bem, depois de assuar o nariz, abrir o lenço e contemplá-lo como se pérola e rubis pudessem ter saído de sua cabeça.

14. Não cuspa na bacia quando estiver lavando as mãos.

15. Não cuspa tão longe que seja preciso procurar a saliva para pisar nela.16. Vire-se ao cuspir para que a saliva não caia em alguém.

17. Se algo purulento cair no chão, deve ser pisado para que não provoque náusea em alguém.

18. Se notar saliva no casaco de alguém, não é polido anunciar.

19. Não seja o primeiro a tirar a comida do prato.

20. Não se atire à comida como um porco, roncando e estalando os lábios.


Fonte: Notícias ao Minuto

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]