Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
21 de fevereiro de 2019
min. 26º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
09/02/2019 às 22h00

Entretenimento

Câmera Record exibe reportagem exclusiva sobre a tragédia de Brumadinho

Divulgação

O Câmera Record deste domingo, 10/02, às 23h15, exibe reportagem especial com informações, depoimentos e detalhes exclusivos que explicam como e por que a barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), se rompeu.

O jornalístico também traz o relato impressionante dos guerreiros Pataxós. A tribo vive à beira do Rio Paraopeba que, atingido pelo tsunami de rejeitos, está praticamente morto. Sem peixes, nem água limpa, os índios agora dependem de doações para sobreviver. "Quantos sonhos, quantos rios eles vão matar? Quantas comunidades indígenas eles vão destruir? Quantos peixes vão precisar morrer? Tudo por causa do minério!", questiona e lamenta ao mesmo tempo a índia Ãngohó.

Os repórteres também mostram que, perto de Brumadinho, uma outra barragem preocupa os moradores da pequena Congonhas. A cidade de 4 mil habitantes está situada a 300 metros da barragem Casa de Pedra, que preserva mais de 21 milhões de metros cúbicos de rejeitos, quase o dobro de volume do da Mina do Córrego do Feijó.

Um funcionário da mineradora faz denúncias graves. Com medo de perder o emprego, prefere não se identificar. "Nós fizemos dois planos de emergência, de simulação. O primeiro, a sirene falhou, falhou conosco", revela. E acrescenta: "Já houve vazamento, foram 48 horas direto para escorar a barragem. Se nada for feito, ela vai estourar feito Brumadinho", acredita o funcionário.

O Câmera Recordapresentado por Marcos Hummel, vai ao ar domingo, às 23h15





Fonte: Planeta TV

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]