Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
21 de fevereiro de 2019
min. 26º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
08/02/2019 às 14h30

Cultura

Municipal do Rio busca parceria para criação de museu do teatro

Teatro comemora 110 anos em julho

Diretor do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Aldo Mussi - Tomaz Silva/Agência Brasil

A nova direção do Theatro Municipal está buscando, com apoio da Secretaria de Estado de Cultura e da Superintendência de Museus, parcerias para viabilizar a criação do museu do teatro. A ideia é que todo o acervo documental, iconografias, figurinos e cenários fiquem abertos à visitação.

O museu deverá funcionar no próprio Theatro Municipal, com exposições permanentes, temporárias e itinerantes. A Central Técnica de Produção do teatro, localizada no bairro da Gamboa, região portuária, receberia também uma galeria, segundo o novo presidente da casa, Aldo Mussi. A expectativa é que o museu esteja funcionando dentro de um ano e meio ou dois anos.

Sala Cecília Meireles

Aldo Mussi está acumulando o cargo de presidente do Theatro Municipal e diretor-geral da Sala Cecília Meireles e não descarta a possibilidade de uma gestão conjunta. A equipe de Mussi está formatando modelos que permitam integrar várias ações. Já está definido, por exemplo, que a orquestra e o coro do Municipal vão participar dos concertos na Sala Cecília Meireles. “Nossa equipe de programação, de produção, está nos auxiliando na curadoria da Sala. É um equipamento que tem muita sinergia com o Theatro Municipal”.

A pré-temporada da Sala Cecília Meireles começa no próximo sábado (9) com apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) com cinco sinfonias de Beethoven. Ainda durante este mês, haverá dois concertos da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (OSUFRJ). No dia 24 de fevereiro, a Sala será dedicada às crianças, com apresentação da Farra dos Brinquedos.

“Tudo isso em pré-temporada, porque o concerto de abertura será em março”, destacou Aldo Mussi. No concerto de abertura, programado para o dia 11 de março, serão homenageados os últimos presidentes da sala: o maestro Miguel Proença, o pianista Jean-Louis Steuerman e o compositor João Guilherme Ripper. No dia 15, o concerto será realizado no Theatro Municipal.

Mussi disse que a temporada 2019 da Sala Cecília Meirelles está sendo estruturada por Miguel Proença, que deu destaque para master class (aula com especialista de notório saber) e criou séries para bandas sinfônicas de todo o estado. “Durante o ano inteiro eles vão se apresentar, pelo menos uma vez por mês”.

Serão retomadas também as séries de música popular, choro, jazz e clássicos em parceria com a Orquestra Sinfônica de São Paulo (Osesp) e a Sinfônica de Minas Gerais. “A gente vai circular nas três capitais [Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte] um monte de coisa legal. Vai ser um ano trabalhoso, mas que o público vai curtir mesmo. O público vai sentir que nós temos um dever de casa feito, com muito cuidado, sem ilusões. Vai ser um ano bem legal.”


Fonte: Agência Brasil

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]