Dólar com. 5,347
IBovespa 2,05
08 de julho de 2020
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel MEC anuncia que Enem será em 17 e 24 de janeiro de 2021
29/04/2020 às 10h40

Blogs

Despreparo e destempero

Bolsonaro responde com ironia questionamento sobre recorde de óbitos por coronavírus no país


E daí?

Ao chegar ontem noite ao Alvorada, Bolsonaro foi questionado sobre o recorde das mortes por coronavírus computadas nas últimas 24 horas. Segundo os dados, divulgados pelo Ministério da Saúde,  a doença já matou 5.017 pessoas no país, superando o número de mortes na China.“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre” afirmou Bolsonaro e sugeriu que as perguntas fossem feitas ao ministro Nelson Teich.

Evazivo

Em entrevista no início da noite, o ministro Nelson Teich foi evazivo em suas explanações e respondeu a apenas 4 das 15 perguntas que foram formuladas pelos jornalistas.

Anonimato legal

Questionado  sobre o resultado de seus exames para o coronavírus que(supostamente) deram negativo, Bolsonaro criticou a decisão proferida pela Justiça para que o jornal Estadão tenha acesso aos exames. Afirmou que a lei garante anonimato.“Vocês me viram rastejando aqui, com coriza? Eu não tive [o vírus]“, finalizou.

Investigação "negligenciada" 

Bolsonaro também afirmou que a investigação sobre a tentativa de assassinato sofrida por ele em setembro de 2018 será reaberta. Para o presidente, a investigação anterior foi “negligenciada”.Sobre a reabertura do inquérito, Bolsonaro desconversou e disse que pediu apenas que a futura gestão da Polícia Federal e do Ministério da Justiça “apurem o caso”

Proximidade

Quanto à proximidade de sua família com o nomeado para o comando a PF, Alexandre Ramagem, Bolsonaro disse que não isso não configura  impedimento. “Vou escolher alguém que eu nunca vi na vida?”, questionou.

Moro

Sobre o ex-ministro Sergio Moro,  Bolsonaro disse que não vai opinar sobre o inquérito aberto no STF (Supremo Tribunal Federal) sob relatoria do ministro decano Celso de Mello.“Ele [Moro] é quem tem que provar que eu interferi. Não eu tenho que provar que sou inocente. Mudou o negócio agora. O que ele falou é lei, é verdade?”, limitou-se a dizer.


Com informações do G1 e Poder 360


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]