Dólar com. 5,347
IBovespa 2,05
08 de julho de 2020
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel MEC anuncia que Enem será em 17 e 24 de janeiro de 2021
07/04/2020 às 13h56

Blogs

Mandetta exonerado...mas nem tanto


Brasil suspenso

Jair Bolsonaro manteve ontem o país em suspenso ao ponto de a tensão imobilizar por um dia, durante a maior pandemia em um século, o funcionamento do ministério da Saúde.

 Exonerado...

Já no final da manhã, as principais colunas de notas políticas começaram a anunciar a iminente demissão do ministro Luiz Henrique Mandetta. O presidente é contra a política de recolhimento em casa defendida por seu ministro, pela Organização Mundial da Saúde e quase todos os governos do mundo. Bolsonaro também gostaria de ver o ministério promover com mais ênfase terapias com base no remédio hidroxicloroquina. Mas, novamente, os técnicos vêm mantendo a linha de seguir as recomendações da OMS e dos institutos de pesquisa nacionais. Irritado, o presidente se movimentou para colocar na pasta o deputado Osmar Terra, com quem tem o discurso alinhado.

...mas nem tanto

 A tentativa de expurgo de Mandetta mobilizou Brasília. Os presidentes da Câmara e do Senado fizeram o presidente saber que ele tornaria difícil a relação com o Congresso caso a demissão ocorresse. O Conselho Federal de Medicina se pôs contra. E os ministro militares do Planalto, em conjunto, levam ao presidente a notícia de que se opunham à decisão. Foi apenas perto das 20h que o  vice-presidente Hamilton Mourão, deu a notícia de que a crise findara. “Mandetta segue no combate”, afirmou. “Ele fica.” 

Pressionado

Mandetta chegou a ser pressionado, ainda no Planalto, a endossar um decreto para liberar por completo o uso de cloroquina. “Me levaram para uma sala com dois médicos que queriam fazer protocolo de hidroxicloroquina por decreto”, contou em entrevista coletiva. “Eu disse que eles devem, nas sociedades brasileiras de imunologia e anestesia, fazerem o debate entre seus pares. Chegando a um consenso, aqui do Ministério da Saúde a gente entra.” 

Até quando?

A manutenção do ministro no cargo não é certa. Carlos Bolsonaro, o filho Zero Dois, voltou esta semana a bater ponto no Palácio do Planalto. Ele costuma ser o mais influente dentre os defensores do núcleo ideológico, anti-Mandetta.


*Com informações do G1, Estadão e O Globo


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]