Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
10 de dezembro de 2019
min. 24º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel BB prorroga condições da Semana de Negociação e Orientação Financeira

Blogs

Leve como Ar

25.11.2019 às 20:18
Felipe Camelo

Imprevistos atrapalharam meu cronograma, nesta 2ª-feira.

Tanto que não consegui editar as fotos que fiz ontem, do Cortejo do Natal de Folguedos 2019, que lotou a Pajuçara, da ponta da Ponta Verde até a Multieventos da Pajuçara, onde prefeito Rui Palmeira comandou a contagem regressiva pra acender a decoração em toda orla.

Assim, me desculpo pela involuntária falta de matéria hoje. Mas amanhã, muitas fotos de tudo que me chamou atenção.

Aqui, pra ilustrar esta postagem, 1 atleta pra lá de talentoso, que, entre várias habilidades, dança no ar, bem na beirinha da praia, quase na frente da esquina da Sílvio Viana com dr. Pompeu Sarmento, próximo ao “Graciliano Ramos”.

Durante o Cortejo, lá estava ele, + leve que a gravidade. Tira onda!!! O nome do fera de slackline? Gastão Souza. Quer saber +? @gastaoatividade

Postado por Felipe Camelo

Fez História

22.11.2019 às 17:04
Fadi Al-Assaad/Reuters (reprodução)

Em 1999, sofri grave acidente de carro, muito tempo em coma, parada cardíaca e tudo +. Me recuperei plenamente, graças ao empenho dos médicos do então Hospital ‘do Açúcar, hj, Veredas, e também da Fé de muitos amigos, conhecidos e pessoas que nem me conhecia pessoalmente, mas, por acompanhar meu trabalho, torceu, rezou em missas, oferendas, cânticos, danças, rodas de médiuns... fiéis de varias religiões mentalizaram em minha recuperação.

Assim, como posso não respeitar e crer em todas estas formas de praticar e se conectar na Fé? Me sinto muito bem acolhido em todas as casas religiosas que frequento, independentemente de suas matrizes e formas de reverenciar suas divindades.

Meu maior respeito aos religiosos que militam, praticam e confirmam o amor ao próximo, e defendem fortemente os Direitos Humanos.

Com pai polonês e mãe belga, fugindo do nazismo na 2a Guerra Mundial, Henry Sobel nasceu em Lisboa, e em 1970, depois de morar em Nova York, desembarcou no Brasil, onde ficou por + de 30 anos. Sua atuante participação em defesa das vítimas da ditadura militar, tornando-o voz admirada, respeitada e seguida, confirmando-se Rabino Emérito da Congregação Israelita Paulista, e ganhou destaque, inclusive por não enterrar Wladmir Herzog entre suicidas no cemitério israelita, enfrentando militares.

Com o pastor presbiteriano Jaime Wright, e o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, enfrentou o governo militar, denunciando as barbáries praticadas no Brasil. Assim, surgiu e foi publicado em 1985, o livro “Brasil: Nunca Mais”.

Aos 75 anos, depois de dedicar sua vida defendendo os direitos das pessoas, em sua plena diversidade, inclusive religiosa, partiu.

Sempre em diálogo entre todas as religiões e minorias, acreditada na Liberdade.

Será sepultado no próximo domingo em Nova York, e com absoluta certeza, seria importante pacificador, neste mundo de violência, ganância, egoísmo, inúmeras fobias e julgamentos.

Então, nesta ensolarada 6ª-feira, 22 de novembro, minha reverência ao rabino Henry Sobel, que ultimamente, vivia recluso, depois de assumir “momento de falha moral” ao se envolver num furto de gravatas, comprovando ser falível como todo mundo.

Que siga no Caminho da Luz, e seu espirito emane energia de generosidade e humanidade, transformando bélicas mentes em seres de amor, luz, respeito e paz.

Postado por Felipe Camelo

Imagens que ‘Falam’

21.11.2019 às 14:09
Divulgação

“Desenhar com luz e contraste”, é a definição ‘oficial e literal do que é fotografar, 2º Wikipedia, que completa, “arte, ciência e técnica de criar imagens duráveis através da luz ou outras radiações eletromagnéticas”.

Pra mim, fotografar é a única maneira de congelar o tempo e eternizar momentos que não voltam ou se repetem. É ‘brincar de ser mágico’. Se alguém for fotografado e no dia seguinte, outra foto for feita, no mesmo lugar, com a mesma roupa, a foto, com certeza, não será a mesma, já que 24h se passaram, o olhar e até a respiração desta pessoa muda, não será a mesma.

Tava aqui me lembrando, quando eu tinha uns 5 ou 6 anos de idade, peguei 1 Olimpus de meu pai, Rubens Camelo, e fotografei 1 lampião antigo no jardim de casa, e quando meu tio Zeca Normande viu a foto revelada, me disse (e eu não esqueci), “Meu sobrinho, você vai viver disso, de fotografia”.

Entrei na universidade pra estudar Física, não era exatamente o que queria. Novo vestibular e o curso de Meteorologia também não era. Quando passei no 3* e  entrei pra cursar Comunicação, me encontrei. Tanto que, transferi o curso pr’o Rio de Janeiro, onde me formei.

Na semana da formatura, minha amiga Zezé Motta me indicou pra estagiar como assistente de direção de Tizuka Yamasaki em Kananga do Japão, na TV Manchete. Como estava sempre fotografando, registrava cenas da novela e dos bastidores, até que fui convidado por Jayme Monjardim pra ser seu assistente.

Entre as varias novelas que trabalhei, “A história de Ana Raio & Zé Trovão”, com 100% das cenas, externas, em varias regiões do país, nenhuma gravada em estúdio. Viajamos o Brasil quase todo, durante 1 ano. E paralelo ao trabalho de assistência do diretor geral da TV Manchete, seguia fotografando o que me chamava atenção, principalmente cenas da novela. Registrando ações e não poses, fui desenvolvendo esta linguagem de fotografar movimentos.

Depois de vários trabalhos na TV, optei por voltar pra Maceió, retornando ao jornalismo, incluindo fotografia. Fotojornalismo no meu foco, paralelo aos eventos sociais que passei a cobrir e publicar. Sempre priorizando comportamentos e atitudes, muito + que fotos estáticas, posadas.

Assim, fui conquistando espaço e respeito, com trabalho autoral, sem querer imitar ou copiar ninguém.

E qual foi minha alegria quando Ailton Cruz me informou que estava sendo criada, há 4 anos, a Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Alagoas, e me convidou pra ser integrante, o que me envaideceu, já que eu estaria entre os + talentosos e produtivos profissionais, corroborando e atestando qualidade ao meu nome e meu trabalho.

Estando atualmente vivendo outra realidade profissional, me confesso feliz por ter sido convidado pra participar da “4a Mostra de Fotojornalismo e Vídeo”, que vai movimentar o Complexo Cultural Teatro Deodoro, das 8 da manhã às 6 da tarde, do próximo dia 28 ao dia 30 de janeiro de 2020.  Confirmando o que sempre digo, ninguém é alguém sem outro alguém, esta Mostra não seria possível sem os apoios da Diretoria dos Teatros do Estado de Alagoas-Diteal, Prefeitura de Maceió, Casas Jardim, Ibratin, Ellege e WorldView, numa realização ARFOC/AL.

Nesta 4a exposição,  Adailson Calheiros, Ailton Cruz, Alison Frazão, Beto Macário, Bruno Fernandes, Douglas Araújo, Dárcio Monteiro, Edberto Ticianeli, Felipe Brasil, Igor Pereira,  Itawi Albuquerque, Jaime Fernandes, Jonathan Lins, Lays Peixoto, Marcelo Albuquerque, Marco Antônio, Pei Fon, Thalita Chargel e Euzinho.

Apresentando vídeos, Ailton Cruz, André Feijó, Carlos Frazão, Henrique Moura, Josualdo Moura, Marcos Araújo, Rafael Ramos, Rodrigo Lins, Valmir Inácio, Valdemir Soares e Welliton Soares.

Confirmo total qualidade da curadoria do presidente Ailton Cruz. A abertura? Às 8 da noite do dia 28, ali, na Praça Deodoro, vizinho ao centenário Teatro. Imperdível!!!

Postado por Felipe Camelo

Inconsciência & Violência

20.11.2019 às 13:47
Reprodução

Confesso que, a cada dia, tenho + certeza das minhas convicções, principalmente quando vejo seres humanos (sic!) agindo como bestas, irracionais, desumanas.

Fico impressionado e horrorizado, como as pessoas estão cada vez + agressivas, violentas, deixando seus + bárbaros instintos escreverem tristes capítulos em suas histórias de vida. Pra eternidade. Com a rapidez dos celulares e da Internet, tudo é registrado e compartilhado com a velocidade da luz, literalmente em tempo real.

Com todos estes registros, e acesso planetário, impossível negar a realidade. Querer contestar fatos (e fotos), utilizando ainda + violência, é inadmissível, e imperdoável. E estas absurdas e desprezível atitudes, devem ser condenadas, combatidas e punidas, severamente, exemplarmente.

Por + que alguns digam que não vê necessidade em dedicar 1 dia ao combate ao crime de racismo, ainda é preciso reforçar esta consciência, e a importância de se respeitar os próximos, por + diferentes que sejam.

Infelizmente, estou achando que a humanidade está retrocedendo, voltando aos tempos em que morava em cavernas, combatendo e matando, por ignorância, pela sobrevivência.

Assim, neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, me confirmo horrorizado com a bestialidade de 1 coronel/deputado que destruiu obra de arte numa galeria da Câmara Federal, numa exposição, devidamente autorizada pela presidência, celebrando, exatamente, a data.

Por + que este truculento e ignorante parlamentar diga que está “defendendo policiais militares”, retratados na obra como ‘executores de negros’, dados comprovam que a charge destruída, não foge em nada da realidade, com muitos negros mortos em comunidades carentes, vítimas de ações policiais. Seja em confronto ou ‘bala perdida’.

Escrevendo com o coração acelerado e apertado, sigo focando nas reações que vem acontecendo Brasil afora. Apesar da triste existência destes preconceituosos racistas, creio que são minoria, e assim, consigo manter a Fé nos seres humanos, os que honram esta denominação, desejando que sejamos maioria, e que consigamos combater e “domar” estas bestas feras que envergonham a raça.

Que em 2020, tenhamos motivos pra celebrar este Dia da Consciência Negra, sem cenas deploráveis e lamentáveis como esta, que é notícia mundo afora.

Nenhuma forma de preconceito e racismo será tolerada. Pelo contrário, devidamente combatida e punida.

Vivamos todos em Paz!!!

Postado por Felipe Camelo

Paraíso Navegante

19.11.2019 às 15:16
Felipe Camelo

Lembro como se fevereiro de 2014 tivesse sido ontem. Indescritível a sensação de zarpar do Porto de Santos pr’o meu 1* Cruzeiro, e logo no espetacular Costa Fascinosa, indo até Montevideo e Buenos Aires, voltando pra  Santos, navegando por 8 incríveis dias. Sem deixar de ‘falar’ nas noites a bordo, claaaaaro!

Optei por ir sozinho, estava precisando de uns dias comigo mesmo, cercado de horizonte por todos os lados. Consegui, convivi comigo, e me entendi. Foi ótimo.

Mas, se navegar num, literalmente, fascinante navio sem nenhuma companhia, foi maravilhoso, juntar família e/ou amigos, então, deve ser d+.

Mesmo só, não fiquei isolado, já que todos, eu ‘disse’ todos, os tripulantes viviam solícitos, prestativos e bem humorados, como algumas fotos aqui comprovam os sorrisos. Também fiz logo contato com passageiros igualmente agradáveis, e os 8 dias, passaram num segundo.

Pra enlouquecer ainda +, lua cheia me provocou reações, principalmente seu reflexo do mar em constante movimento de velocidade. Confesso que ficava bastante tempo observando, refletindo a vida.

1 das fotos que + gostei de ter registrado, está aqui, eu de agasalho branco, com os pés no vidro (‘gotejado’ pela salinidade) da varanda da cabine com as luzes apagadas, e a lua cheia, e seu reflexo, entre meus pés e minhas pernas.

Sempre viajei muito, e me arrisco a dizer que foi a melhor viagem da minha vida, meu 1* Cruzeiro. Tudo me encantava, o por do sol é de travar a glote, transferir a respiração pr’os poros. Lembrei agora de 1 dos 1*s dias, acordei e abri a porta da varanda. Estava atracando no porto de Buenos Aires, com o sol saindo d’água e subindo entre enooormes guindastes, refletindo luz de ouro em pilhas de contêineres. Loucura master.

Registrar o relaxamento dos passageiros, sem invadir a privacidade ou expor,  também foi massa. E por falar em massa, lembrei que comi muito bem, numa absurda fartura nos “buffets”, sempre variando, pra provar de tudo. Do café da manhã ao jantar, fartura extrema.

O que não faltou foi opção de entretenimento, tanto de dia, como de noite. Enfado ou tédio, nem pensar. Ah! Adorava, no 1/2 do dia, parava o que estava fazendo, e ia pra cabine, cochilar. Acordava zerado, pronto pra nova rodada.

Assim que embarquei, comprei logo 1 passe livre etílico, tipo “tudo incluído”. Com engov/epocler/sonrisal no kit-sobrevivência, não me poupei. Se os ‘novos amigos’ estavam numa piscina, com cerveja, muitos brindes. Se no jantar, a cena era “vinícola”, + brindes. Se espumante era pra fechar os trabalhos, Tim! Tim!

Me confesso feliz com todas estas lembranças, que surgiram com o convite de Carol Feitosa & Alexandre Lima, pra café da manhã no próximo dia 28, a bordo do igualmente incrível Costa Pacifica, que, vindo de travessia Transatlântica, chega da Europa, atracando em Recife, Maceió e Salvador, e finalmente, no Réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro. Outro roteiro bem concorrido e disputado, é no carnaval, que imagino, o quão incrível deve ser.

Nesta visita técnica, 30 convidados da Masterop Operadora, entre os quais, este jornalista, que já, agradece.

E confesso que, desde que fiz o Cruzeiro, imagino como deve ser maravilhoso atravessar o Atlântico até a Europa, navegando num Costa. Ah! Desejo!!!

Postado por Felipe Camelo

Por Respeito e Liberdade

18.11.2019 às 14:52

Como já publiquei algumas vezes, acredito que somos 1 única raça, Humana. Não identifico ou classifico pessoas por sub- grupos, brancos, negros, indígenas, orientais, LGBTQ+, héteros, pobres, ricos... Todos merecemos as mesmas oportunidades, deveres e direitos, principalmente respeito. Também creio que todos os dias devem ser celebrados como Dia da Humanidade.

Mas infelizmente, vivemos num mundo cada vez + ganancioso, egotista, agressivo, violento, com as diferenças cada vez + evidentes, visíveis, assumidas, e as mesmo tempo, julgadas e combatidas.

Aqui no Brasil, com sua ampla e incrível diversidade, atitudes ignorantes de preconceito, fobias e racismo ainda são, absurdamente, explicitamente, praticadas.

Confesso que não entendo como alguém, em pleno século XXI, ainda se acha melhor que outras pessoas, simplesmente pela cor da pele. Pra mim, inadmissível, incompreensível, imperdoável.

Em todos os ambientes, piadas, comentários negativos, ‘brincadeiras’ sem graça... provocam trauma e sofrimento que podem dificultar a vida destas vítimas. E definir específico dia pra destacar este 20 de novembro como Dia da Consciência Negra é preciso, principalmente pra dar + visibilidade, + empoderamento, + força, + identidade.

Esta semana passada, movimento extra e temático na Praça Multieventos da Pajuçara, com 2 cenas que se complementavam, “Vamos subir a Serra”, reuniu moda, artesanato, música, estilo de vida... e também o “Festival Quilobombola - Cozinha Afro-Brasileira”, reunindo 20 restaurantes, que prepararam seus pratos, deliciosamente inspirados na tradicional gastronomia quilombola. Fui com Nide Lins e Beto Nobre, e, coincidentemente, escolhemos e devoramos a mesma opção, estava d+.

Parabéns ao Sebrae, Pagseguro, Centro de Estudos Étnicos Anajô, Abrasel, Prefeitura de Maceió (Fundação de Ação Cultural e Secretaria de Comunicação) e Governo de Alagoas, pelo evento que serviu como “prévia” e pelo que vai acontecer na Serra da Barriga, em União dos Palmares, sítio arqueológico, histórico e cultural, devidamente tombado (há 32 anos) pelo IPHAN, como Patrimônio Cultural do Mercosul, tornando a nossa Serra da Barriga como local de peregrinação, reconhecimento e reverencia ao líder máximo da luta contra a escravidão no Brasil, Zumbi dos Palmares.

A partir das 9 da manhã, até 5 da tarde, diversificada programação, com caminhada “Palmares in loco”, roda de conversa “Tambor Falante”... e na noite do próximo dia 30, “Vamos subir a Serra” no Cinearte Pajuçara, numa incrível Mostra Quilombo Cultural, inclusive com música e poesia.

Que nossa raça, racionalmento (sic!) humana, honre a denominação e que, em 2020, tenhamos + motivos pra celebrar a data. ⚫ Por + Consciência, de todas as Cores!!!

Postado por Felipe Camelo

Sem motivos pra celebrar

15.11.2019 às 10:26
Felipe Camelo

Creio que República é a forma + justa e democrática de governo.

E neste Brasil que se tornou republicano em 1889, encerrando a monarquia, muitos golpes, inclusive o que transformou o imperialismo num país dominado por políticos gananciosos e egotistas, que legislam em causa própria. Até hoje.

E nesta mudança governamental, Alagoas presente, na imponente figura do marechal Manuel Deodoro da Fonseca, que comandou o golpe político/militar em 15 de novembro, encerrando a monarquia constitucional parlamentarista, destronando Dom Pedro II, exilando-o na Europa com a família. Ele que falava 16 idiomas, inclusive Guarani. A História conta que Dom Pedro II recebeu Deodoro pra jantar, e logo após, foi comunicado pelo militar filho de dona Rosa da Fonseca, que teria 24 horas pra deixar o Brasil. Os membros da família real que estavam em Petrópolis tiveram que viajar de noite até o Rio de Janeiro pra embarcar pr’o exílio. Assim, o Brasil virou República.

Desde então, vivemos num país comandado por políticos que, em sua grande maioria, não se preocupam com o desenvolvimento do país e com o bem estar do povo. Mudam os governos, os partidos, as siglas, mas garantir crescimento e evolução, pouquíssimos presidentes se empenharam. Num recente período, o povo teve chance de evoluir, desenvolver e ter a mínima qualidade de vida. Incluindo educação, cultura. trabalho e dignidade.

Mas, inconformada, a elite política, econômica e social conseguiu se articular e retomar o poder, voltando a velha política do “aos ricos, tudo, aos trabalhadores, nada”.  Nenhum direito, nem humano, nem trabalhista.

Cenas urbanas como esta que registrei, e que ilustra esta postagem, confirmam a absurda desigualdade, com brasileiros tentando sobreviver em situação de rua.

Me confirmo socialista por acreditar que 1 sociedade só é considerada plena, evoluída e justa, quando seus cidadãos compartilharmos os mesmos deveres, e principalmente, os mesmos direitos.

Não entendo como algum cidadão pode ser feliz sabendo que semelhantes passam fome, e vivem sem o merecido conforto. Tenho tatuada em mim a palavra ‘Compaixão’, que não significa pena. Este sentimento explicita que desejo pra todos, as mesmas chances e oportunidades que a vida me deu, e dá.

Garanto, não consigo ser feliz sabendo a quantidade de seres humanos que vivem abaixo da linha da pobreza. Da miséria. Como socialista, não quero tomar nada de ninguém. Não quero que os ricos fiquem pobres, só não acho justo que, somente a elite tenha qualidade de vida. Fico muito feliz quando fico sabendo que filhos de operários estudando, se graduam e se formam, com o intuito principal, melhorar a vida da família, incluindo casa própria. Ficava muito feliz quando via pessoas viajando de avião pela 1ª X.

Meu coração aperta quando vejo seres humanos vivendo assim, sem segurança, conforto, morando sob e sobre papelão, ou embaixo de abrigo improvisado, como estas pessoas, retratadas por mim, justamente embaixo de anúncio “Remédio de graça”, abrigadas sob ‘guarda-sol’ de propaganda de cartão de crédito, luxo capitalista ao qual jamais terão acesso. Pelo contrário.

Então, infelizmente, neste 15 de novembro de 2019, não vejo motivo algum pra celebração.

Pelo contrário. Que esta data seja pra reforçar que o povo se mobilize e se imponha diante dos 3 poderes, não pra enfrentar o executivo, o legislativo ou o judiciário, mas pra cobrar e exigir os mesmos direitos que tem esta cúpula que conduz esta República Federativa do Brasil, e que nos respeitem.

Sim, nós, o povo, merecemos, principalmente respeito. Além de condições mínimas e dignas de vida.

Fico aqui na torcida pra que tenhamos o que, realmente, comemorar, e celebrar a República do Brasil em 15 de novembro de 2020.

Até lá, mantenho meu amor ao Brasil, Fé na Vida, e nos eleitores, pra que tenham clareza na hora de escolher quem vai nos representar no comando do país nos próximos anos.

Vontade de gritar Viva o Brasil, mas... vou guardar meu grito  e aguardar o próximo ano!!!

Postado por Felipe Camelo

Feras dos Botecos

14.11.2019 às 13:55
Felipe Camelo

Baianos de origem e alagoanos por opção, Vera, Osvaldo, Aina & Jonatas Moreira conquistaram nativos e turistas com suas delicias, e, principalmente, por serem seres incríveis.

Não é por nada que Akuaba completa 25 anos de muito sucesso. Assim como o Espaço Vera Moreira, que vem sendo cenário de muitas e memoráveis celebrações.

Assim como eu, este quarteto também é de agregar, reunir e tornar encontros, inesquecíveis, tanto quantos as iguarias ali servidas. 

1 de seus + bem sucedidos projetos, “Encontro de Sabores” vai muito além do paladar. Ter certeza de que vamos encontrar também pessoas queridas, é garantia de supernoite. Além da excelência dos chefs convidados.

Como no + recente, no finalzinho de outubro, mas que só repercuto agora, com este curta-metragem com gente “bonita, elegante, sincera”, quando o anfitrião chef Jonatas dividiu panelas, caçarolas e aplausos com os também chefs Biba Fernandes e Joca Pontes, ambos muito talentosos e já queridos dos alagoanos. Suas criações sempre provocam os sentidos todos.

Mas hoje, o encontro tem tempero extra. Minha amada amiga Nide Lins, jornalista, blogueira e exímia conhecedora das delicias e segredos da culinária, assina a curadoria deste inédito “Encontro de Sabores - Botecos Alagoanos”.

Com certeza, a partir das 7 e 1/2 da noite deste 14 de novembro, véspera de feriadão, movimentadérrimo estará o Vera Moreira, quando os feras Sílvia & Rogildo (Bar do Rogildo), Tadeu (Bar do Pelado), Mary (Churraquinho da Mary), Tonho (Boteco do Tonho), Cicinha (Tapioca Nosso Xodó) e Lourdes (bar do Renaldo, o famoso Bar do Cadoz) preparam iguarias que se tornaram clássicas em seus respectivos estabelecimentos.

Certamente, deixarão esta noite marcada na memória de quem for participar. Eu? Confirmadíssimo, vou de uber, que não quero problemas depois, claro!!!

Postado por Felipe Camelo

Turismo e Gastronomia - Gramado

13.11.2019 às 14:09
Felipe Camelo

Creio que ninguém é alguém sem outro alguém, e reconhecer talento, valor e trabalho, é preciso. Na postagem de ontem, + 1 cobertura da presença da alagoana Masterop Operadora em Gramado, não só pelo Natal Luz, mas também na Feira Internacional de Turismo, indicando inclusive passeios, restaurantes e atrações da cidade queridinha na serra gaúcha.

Como Carol Feitosa & Alexandre Lima mantém laços de amizade, além de parceria comercial, a relação entre a operadora e a agência de receptivo Brocker Turismo se fortalece a cada ano.

Desta vez, Any Boeira, Carlise Bianchi e equipe Brocker convidou o hoteleiro Fernando Schimanoski, vencedor da 2ª temporada do BBC Brasil - Churrasco na Brasa, para preparar superchurrasco,  confirmando a estreita ligação entre Turismo e Gastronomia. Tudo delicioso, com destaque pra ‘panceta de porco’, preparada de maneira única, inigualável. Claro que, nós alagoanos, nos sentimos muito honrados com a recepção, logo na chegada.

Mas, não parou por si. As anfitriãs armaram festão pra entrega do Prêmio Infinito 2019, destacando os melhores do ano, em vários seguimentos do setor. E a operadora alagoana, se confirma na seleta lista dos maiores parceiros do Turismo de Gramado.

No grupo da Masterop, os executivos Artur Nascimento e Márcio Costa, e como convidados, a agente alagoana Patricia Rabêlo e os paraibanos Aninha & Júnior Dantas. E euzinho, como jornalista, fotógrafo e amigo.

Com certeza, estimulados por + este reconhecimento, + negócios estão sendo fechados, e + turistas nordestinos, se encantarão com o Natal Luz. Eu, explicitamente apaixonado pela cidade e arredores, não me acho suspeito. Se indico e recomendo, é porque consumo e dou o devido valor.

Assim, desde já, combinem com parentes e amigos, acertem a viagem, e aproveitem. Gramado é, literalmente, d+++!!!

Postado por Felipe Camelo

Os sentidos do Natal

12.11.2019 às 15:58
Felipe Camelo

Confesso que não lembro exatamente há quantos anos (imagino uns 10) vou a Gramado, conferir o Natal Luz e também a Feira Internacional de Turismo, com a ativa presença do “trade” alagoano, destacando  Masterop Operadora, que  de figura no topo da lista dos maiores vendedores do destino + charmoso da serra gaúcha no Brasil.

Lembro bem do encantador espetáculo encenado ao ar livre, num lago, contando a magia natalina. Lembro também de outro formato de show, o desfile, num enorme

de espaço coberto, com estruturas  de arquibancada, levando o público, especialmente o infantil, ao delírio.

Agora em 2019, a abertura dos festejos atraiu milhares de turistas e nativos que se concentraram na frente da badalada ‘rua coberta’ pra aplaudir e registrar o “acender das luzes”, com a mágica presença de Papai Noel e seus assistentes. Verdadeiro batalhão de fotógrafos de celular, com os braços pra cima, eternizando o inesquecível momento.

Claro que Gramado é terra onde se come muito bem, além dos deliciosos chocolates, dos vinhos, espumantes e cervejas artesanais.

Todos os anos, fico hospedado num hotel diferente, e garanto, todos são ótimos, com distintas características e condições. Dos + estrelados aos + simples, todos são recomendáveis, opções pra todos os gostos e bolsos. Seus funcionários são muito simpáticos e solícitos. Este ano, quando cheguei ao quarto do Encantos do Sul,  muitas frutas, 1 caixa de chocolate e 1 delicioso vinho tinto, gaúcho, claro. Me senti muito bem vindo.

Como meus queridos amigos Carol Feitosa & Alexandre Lima tem muito bom gosto, acompanhá-los é bem + que prazer. No roteiro, os melhores restaurantes, e passeios pra lá de incríveis.

A cada ano, vamos variando. Já participamos de circuito de vinhos, com ininterrupta degustação; circuito pra conhecer propriedades rurais com direito a almoço típico dos colonos rurais nos arredores da serra; outro pra conhecer as terras onde foi filmado “O Quatrilho”, e este ano, repetimos o Circuito das Cervejas Artesanais, com degustação de suas premiadas e preciosas criações. O Lago Negro também são imperdíveis.

A operadora alagoana é parceira da maior agência de turismo receptivo de Gramado, a estrelada Brocker Turismo, que atrai muita gente aos seus confortáveis ônibus panorâmicos.

1, faz o circuito, passando em horários pré-determinados, por todos os atrativos, como SnowLand; e o disputado Bus Bier, o tal que é específico das fábricas artesanais de cerveja, onde, além de degustar, temos verdadeira aula em cada 1 delas.

Desta vez, tive a sorte de ter como companhia, alem de Carol & Alexandre, e seus fiéis executivos Artur Nascimento & Márcio Costa, a agente alagoana Patrícia Rabêlo e o casal de agentes paraibanos Aninha & Júnior Dantas. Claro que não faltaram boas conversas e ótimas risadas. Sem falar nas massas, sopas e fondues. Destaque pr’um espumante ‘moscatel’, cujo sabor e borbulhas, sinto até agora. Inesquecível. Como tudo em Gramado. Sem deixar de incluir Canela e arreadores, claro.

Paralelo ao Natal Luz, Festuris atrai e movimenta Gramado, lotando o Serra Park, reunindo representantes de todas as áreas do seguimento, onde os alagoanos são muito bem vindos, confirmando relações que vão além do comercial. Jornalista Antônio Noya, por exemplo, é muito assediado e paparicado, com direito a foto sua no painel das celebridades. Como também Cláudia Pessoa, que sempre marca presença de destaque.

Mas, sou obrigado a reconhecer, o casal Masterop é sem dúvida, ‘vipérrimo’. Acompanhá-lo, não é tarefa fácil, tal o assédio, todos querem cumprimentar, fotografar, negociar e fechar parcerias de trabalho, estreitando ainda + os lados, inclusive de amizade.

Outro compromisso é participar da festa Brocker, que entrega o Troféu Infinito aos melhores e maiores. Mas este assunto, é matéria de outra postagem aqui no blog. Vale aguardar e se orgulhar de empresa alagoana que se confirma entre as ++ do país.

Postado por Felipe Camelo


Felipe Camelo por Felipe Camelo

Felipe Camelo é jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]