Dólar com. 5,321
IBovespa 0,55
06 de julho de 2020
min. 23º máx. 28º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Hospital Regional do Norte abre as portas para casos da Covid-19 nesta terça-feira (07)

Blogs

- [ ] Pensando e Repensando

02.07.2020 às 19:04
Felipe Camelo

Obviamente, muita coisa mudando no mundo e consequentemente, na minha vida nestes 2 últimos anos. Me parece que o globo está acelerado e deu + que 2 voltas.

Durante uns 20 anos editei coluna social em jornais impressos e revistas, além do trabalho ‘on line’ no blog. Detalhe, editando notas, tinha que dar todas as informações em pouco espaço, em poucas linhas. O que, quem, onde, quando, como... não pode faltar nada. Mas em poucas linhas, pouco espaço, eu ficava procurando sinônimos com menos letras, pra caber tudo, ia “enxugando” as notícias, dava muito trabalho. Quem lia não fazia ideia do trabalhão.

Com o isolamento provocado pelo Coronavírus, tempo inclusive pra pensar na vida e repensa-la. Eventos e festas movimentavam a agenda e as publicações, mas o seguimento paralisou as atividades antes de todos os outros. Nestes últimos meses, tenho a impressão que estamos vivendo 1 época na qual em todos os sentimentos estão + aflorados até então.

Como sempre fui muito observador, tudo e todos me interessam, principalmente o comportamento das pessoas, atitudes e pensamentos. E obviamente vou reagindo ao que vou lendo, vendo, ouvindo, pesquisando, perguntando, e vou assim, formando minha própria opinião.

Consequentemente tenho escrito muito, e neste repensar num novo formato de trabalho jornalístico, venho publicando aqui no blog meus comentários sobre o que + me toca. Muita coisa bacana, mas muita coisa barra pesada também.

Confesso que 1 informação vai se ligando em outras, provocando novos pensamentos e opiniões. Vou deixando o texto fluir, e quando sinto que está concluído, finalizo. Não estou fazendo diário de quarentena, só estou vivendo e observando a vida. E escrevendo. Infelizmente, algumas atitudes preconceituosas e violentas me aceleram o coração e, por instantes, descrer dos bons sentimentos humanos.

Mas este, é assunto de outra postagem. Sigo aqui cabeludo e barbudo, deixando 1 novo homem surgir desta pandemia, num outro formato, mas com a mesma essência. #estouemcasa #fiqueemcasa #usemáscara #égrave #vaipassar

Postado por Felipe Camelo

Novo Tempo Novo

01.07.2020 às 19:21
Felipe Camelo

Duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro”; “período contínuo no qual os eventos se sucedem." ; “determinado período considerado em relação aos acontecimentos nele ocorridos; época”. Procurei e encontrei estas definições de tempo num dicionário.

No momento em que vivemos, o tempo vai além do mundo cronológico.

Contrariando alguns, a terra é comprovadamente redonda, e a cada volta, ciclos se encerram e novos se iniciam. Com o circular dos cronômetros e relógios, e a acelerada que a vida provoca, tenho a impressão que o tempo está + curto, e + acelerado.

Confirmando esta sensação, com a tecnologia controlando o ritmo, parece que não teremos tempo para fazer tudo que “precisamos”, ou achamos que precisamos. Sempre tive a impressão de estar atrasado, por + que acelerasse. Tanto que mantinha 10 minutos adiantado no relógio, me dando certa folga e evitar chegar depois da hora marcada.

Eternamente cheio de compromissos, já cheguei ao recorde de 6 eventos numa mesma noite. Consegui, mas detestei e combinei comigo mesmo que não repetiria. Desde que deixei o jornalismo impresso e diário que tenho procurado ditar meu ritmo, eu mo controle do meu tempo. A 1a providência foi aposentar os relógios de pulso. E se precisar, tenho no celular.

Numa época em que consegui participar de grupo de biodança e meditação, li Osho, que chamava atenção para a respiração consciente e viver focado no ‘aqui e agora’, ensinamentos que sigo até hoje.  E assim vinha fazendo, até que em março ultimo, a vida deu 1 girada de 360 graus, com o aparecimento do Coronavírus numa mundial pandemia.

Doença desconhecida, sem remédios, vacinas ou tratamentos, e absurdamente rápida e contagiosa, a solução é o isolamento social, como única maneira de evitar + contaminações e mortes. Claro que máscaras funcionam como precaução, mas o seguro mesmo é ficar em casa, os que podem, claro. Quem trabalha com saúde e em setores de infraestrutura, é usar corretamente equipamentos de proteção individual e se cuidar.

Eu, 100% confinado em casa, com muito tempo pra pensar na vida, estava observando que hoje, entramos no 7* mês de 2020, mas com a impressão de que a o réveillon foi “outro dia”. Entramos neste 1* de julho, o 2* semestre, a 2a metade do ano.

Tava pensando, com a velocidade do cotidiano e a ocupação desenfreada do planeta, estávamos vivendo sem observar nosso comportamento e a vida que vivemos. Com o Meio Ambiente tão agredido e maltratado, nestes 3 meses com todos e tudo em outro ritmo, a Natureza vem se recuperando, apesar de ainda estar descontrolada. As constantes queimadas de florestas seguem destruindo e comprometendo a qualidade da vida. Ontem, fiquei horrorizado com o absurdo vendaval que passou ontem por vários estados do sul e sudeste.

Claro que fenômenos naturais existem, mas muitos são consequência das ações humanas (sic!). Neste momento em que devemos, e precisamos ficar em casa, vamos aproveitar pra pensar e repensar em como estamos nos comportando com nosso ambiente, incluindo fauna e flora e principalmente com os seres humanos. Egoísmo, ganância, avareza, soberba, preconceitos... não pode nem devem continuar como atitudes e sentimentos característicos da raça dita humana, inteligente, racional.

O que tenho visto é desolador, a grande maioria das pessoas só se preocupam consigo mesmas, e com os seus. A preocupação em acumular poder e riqueza é a maior das “pobrezas”. Lembrei de 1 pensamento meu, digo que ninguém é alguém sem outro alguém. É impossível ser feliz sozinho, nem triste. Pra mim, só é possível me sentir bem, se este bem for coletivo, compartilhado, como pão deve ser. Confesso que fico feliz quando vejo postagens de jantares maravilhosos, almoços caríssimos, num esnobe fausto, em + exemplos de ostentação. Tão ou + importante que ter, é aparentar, mostrar. Sinto tristeza e vergonha profundas.

Aproveito que estou confessando pensamentos pra confirmar que acho muito cafona não se preocupar com a coletividade, se achar melhor que os outros por ter muitos sobrenomes ou muitos dígitos no banco. O tempo passando, e tem quem se sinta feliz, sozinho, como se morasse numa redoma climatizada, com caríssimos móveis.

Este tempo passou, vamos nos antenar pra este novo momento, tempo de tratar bem, indistintamente. Não é tempo de exibir bens materiais, promover festas em plena pandemia, arriscando muitas vidas. É tempo de multiplicar gentilezas, com todos os seres vivos. Comprovadamente precisamos de todas as formas de vida, para que a Existência seja generosa com todos. Amplamente. É tempo de sermos conscientes em tudo que fazemos. Não dá para viver no “piloto automático”. É tempo de focar, ter atenção a nós mesmos e, principalmente, aos outros.

Precisamos usar o tempo a nosso favor, para não sermos suas vítimas. Nossas próprias vítimas. É tempo de solidariedade!!!

Postado por Felipe Camelo

Desumana Ganância

30.06.2020 às 19:26
Felipe Camelo

Neste pandêmico isolamento, muito tempo pra pensar na vida, e como já estou perto de inaugurar meu 60* ano, o que não me falta é história, incluindo detalhes de momentos que interagem com fatos recentes, através do túnel e do cronômetro. E muita coisa se explica, se reforça, como atitudes, conceitos e comportamentos ensinados na vida, e em casa, inclusive com exemplos.

Quando completei 18 anos, fui contratado para trabalhar numa secretaria da Prefeitura de Maceió, mas alguns meses depois, fui morar em São Paulo, e meu pai levou 1 procuração minha para rescindir meu contrato, confirmando que eu não poderia morar fora, recebendo salário sem trabalhar. Entre as lições de meu pai Rubens, está também me norteia até hoje.

Estava pensando que a ganância tem sido o sentimento + praticado. Poder e dinheiro transformam e desumanizam. Principalmente se foi dinheiro fácil de ganhar, mesmo não sendo fruto de trabalho real. Confesso que fico horrorizado com a quantidade de pessoas  que se aproveitam deste momento de tristes sofrimentos e mortes, para superfaturar e roubar dinheiro público que serviria para comprar respiradores e outros equipamentos hospitalares que salvariam milhares de vidas.

Com a bandidagem “coletiva”, e a certeza de impunidade, os golpes roubam trilhões que deveriam ser investidos na qualidade de vida da população, tão carente de tudo. Na verdade em todas as esferas políticas, jurídicas, policiais... muitas quadrilhas, e roubam muito, descontroladamente, as somas são astronômicas.

O que me deixa + incrédulo é a falta de empatia, humanidade e solidariedade destas pessoas que não se preocupam com ninguém. Gente morrendo de fome, doentes nas filas de hospitais e ambulatórios, enquanto este dinheiro todo indo parar em bolsos e bolsas de grifes de luxo.

Não bastasse, esta ganância promove 1 outro golpe. Com a Internet, e a ostentação destes bandidos, fica muito fácil descobrir as trambicagens. E não foram poucos os casos de gente que recebeu indevidamente o auxílio emergencial destinado aos que realmente precisam desta mísera ajuda.

De acelerar meu fluxo sanguíneo saber que fazendeiros, empresários, funcionários públicos, políticos, militares, presidiários, até deslumbradas “alpinistas sociais”, estão recebendo os R$600 e agravando ainda + o absurdo, postam descaradamente as provas da bandidagem, fazendo piadas, zoando da cara de todo mundo.

Como se fossem “superiores” e pudessem fazer qualquer coisa, sem precisar prestar contas, ou merecer punições. Desviar grana pública deve ser crime hediondo e inafiançável. O povo pagando imposto de tudo, sem ter o retorno que deveria receber, como saúde, educação, segurança, infraestrutura, saneamento... qualidade de vida. Se meu pai estivesse vivo, estaria horrorizado com tudo isso.

Lembrei que ele foi diretor geral do Detran durante muitos governos, e lembro que ele economizava tanto o dinheiro do departamento que os governadores comentavam que ele era o único na devolução do que não foi gasto. Lembrei também de seu pai, meu avô, José Farias de Almeida, que foi caixa do Banco do Brasil até se aposentar. Nunca teve outro trabalho nem quis outra função, tinha prazer no que fazia. E há alguns anos, encontrei 1 placa de prata, onde o banco o homenageava. Em toda sua vida profissional, nunca houve “diferença de caixa”, nunca houve nenhum erro em suas contas.

É como sempre digo, poucos os que se preocupam em escrever impecáveis histórias de vida, eternizando correção como pessoa, deixando os melhores exemplos. Eu, tenho todos os motivos pra agradecer. Mas confesso dificuldade em viver neste mundo de egoísmo, ignorância, ganância. Me esforço pra manter fé. Cansei. Quero fazer parte da maioria, da parte correta da vida. E você???

Postado por Felipe Camelo

Curriculum Vitae

29.06.2020 às 18:47
Damares Alves - (Sérgio Lima/APF/via Getty Images)/ Reprodução

Me confesso horrorizado com a cara de pau de quem se acha tão esperto, mas tão esperto, que subestima nossa capacidade, nossa inteligência.

Tem sido recorrente, até repetitivo e chato mesmo, a quantidade de “autoridades” que fogem da verdade, e falsificam a realidade de seus currículos, como se não houvesse como checar dados, nos mínimos detalhes. Mas, graças ao acesso tecnológico, é rápido, fácil e seguro, confirmar e/ou desmentir as ditas (des)informações.

Por cavalheirismo, começo por Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, que se apresentou como "advogada, mestre em educação e em direito constitucional e direito da família". Sua explicação? Surreal, “Diferentemente do mestre secular, que precisa ir a uma universidade para fazer mestrado, nas igrejas cristãs é chamado mestre todo aquele que é dedicado ao ensino bíblico". Seeei.

Ricardo Salles - (Sérgio Lima/AFP/via Getty Image) Reprodução

Enquanto isso, o do Meio Ambiente, Ricardo Salles, nunca estudou na Universidade Yale, nos Estados Unidos, e consequentemente, não é Mestre em Direito Público, coisa nenhuma. Só entende de “boiadas”. E agronegócios.

O cinismo é tanto, e a certeza de que não serão ‘descobertos’ é tamanha, que os malandros publicam as mentiras em seus perfis nas redes sociais. E nos Meios de Comunicação. O que se vê depois? Desculpas pra lá de esfarrapadas. Tanto quanto os próprios.

Agora, o + incrível, mas incrível mesmo, é o “karma” do Ministério da Educação, que era pra ser o + qualificado, o + exigido de todos, já que é a Educação que transforma a vida da população. Sem ela, nada seríamos além de pátria de ignorantes.

Ricardo Vélez Rodriguez - (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo) Reprodução

1º, foi o colombiano Ricardo Vélez Rodríguez, com apenas 22 “deslizes” em seu histórico, entre eles, livros que nunca escreveu. Sem falar nas absurdas declarações que deu enquanto ministro. Foi tanta pressão que o governo federal puxou a cadeira dele e convidou pra sentar, o igualmente inacreditável (pra usar somente este adjetivo), Abraham Weintraub.

Abraham Weintraub - (Lula Marques) Reprodução

Ao apresentar o novo titular da pasta, o presidente foi logo dourando a pílula, informando ser Doutor, seu novo escolhido. Se o que disse Vélez foi terrível, com Weintraub foi sempre assustador. Não vou nem citar detalhes de suas declarações, atitudes e ações pra não fugir do tema principal desta postagem, os currículos ministeriais brasileiros. Mas é, inclusive, impossível não citar aqui seus erros da língua portuguesa. Que país é esse, no qual o ministro da Educação não conhece e domina a escrita?!?!?

Pois bem, o ideológico empossado nunca fez nenhum Doutorado, como apregoou o deslumbrado chefe. O então ministro ainda quis valorizar, indevidamente, sua produção literária académica, publicando o mesmo artigo em 2 revistas, reprovável atitude, classificada como verdadeiro “auto-plágio”. Tipo, ele se “auto-psicografou”. Com reações ainda piores contra seu antecessor, com esse, a pressão foi ainda + forte, e depois de muitas insanidades, foi + 1 que perdeu o assento da dança das cadeiras.

Dai, o qualificado presidente escolhe o 1º afrodescendente de sua equipe, Carlos Alberto Decotelli da Silva, que nem assumiu e já mostrou sua capacidade curricular. De cara, seu Doutorado na Argentina foi rapidinho desmentido pelo próprio reitor da Universidade, confirmando que sua tese foi reprovada por 3 professores da banca examinadora. Mesmo tendo cumprido a carga horária, não recebeu o título. “Levou pau”.

Carlos Alberto Decotelli da Silva - (www.sintietfal.org.br) Reprodução

Pensa que acabou? Nananinanão!!!

Pela falta do título, seu Pós-Doutorado na Alemanha, “em análise”. Pensa que acabou??? Ainda não! Há fortes indícios de que Decotelli abusou do “contral C, control V”, e foi copiando e colando trechos de outros trabalhos acadêmicos sem indicar os devidos créditos. Sua posse? “Em análise”.

Se o anúncio foi de que “teremos ministério técnico”, estamos muito mal, tecnicamente ‘falando’. Concordam???

Postado por Felipe Camelo

Cozinhando com Alma

26.06.2020 às 18:20
Felipe Camelo

 Eita, feliz d+ desde a noite de ontem, quando meu querido Serginho Jucá ultrapassou + 1 etapa do Mestre do Sabor, na Globo, comandado pelo estrelado chef Claude Troisgros, com seu fiel escudeiro, Batista.

Reunindo cozinheiros profissionais de vários estados, o “reallity” conta com talentosa presença de 1 alagoano que tem o amor pela  gastronomia na genética. Matriarca Yêda Jucá formava com Jacy, Maria, Bartira o quarteto fantástico da culinária Caeté.

De todos os seus netos, Serginho soube aproveitar bem o convívio com a avó paterna, e não perdia a chance de observar, perguntar e aprender.

Lembro bem de quando ele voltou da Espanha, onde se graduou e  trabalhou em vários restaurantes, onde foi inclusive premiado. Mas optou por voltar pra Maceió e por em prática os conhecimentos, informações e descobertas. Com ele, voltou o também chef e alagoano, Felipe Lacet, e formando imbatível dupla, abriram o Sur, que inicialmente ‘veio’ de sururu, mas rapidamente ganhou outro significado, Sur, de surpreendente, de surreal.

Lembro muito bem de minhas reações no 1* jantar que fui convidado. Incrivelmente impactante. Eles mantinham as raizes, mas numa versão arrojada, inusitada, corajosa, ousada. Logo o restaurante se tornou referência, e o sucesso, garantido. Não esqueço do “hot dog” de lagosta. Nooossa!!!

Foram destaque sabem onde? Na exclusivérrima revista Forbes, a publicação + badalada do mundo, quando se fala em luxo, sucesso, glamour, dinheiro... +, impossível.

Muitas publicações confirmam a excelência do trabalho deles, mas, como o mundo é redondo e dá voltas, ciclos se encerram pra que novos se iniciem. Felipe seguiu novo rumo e Serginho seguiu investindo nas panelas e caçarolas. Creio que tudo é eterno quando é incrível e não quando dura a vida toda. Esta dupla Sur está eternizada.

Atualmente, Serginho mora e tem seu restaurante em São Miguel dos Milagres, e qual foi minha felicidade quando o vi participando do programa.

O 1*’prato que apresentou foi alagoanérrimo, tapioca, com inspiração no artista plástico (tbm alagoano) Delson Uchoa), e pra quebrar a alvura da goma, criou tintas comestíveis, coloridíssimas. Ôxe, ganhou logo o respeito dos 3 Mestres que enriquecem o time de chefs do programa.

E na noite de ontem, Jucá apresentou ‘bobó de cavaquinha e abóbora em 3 texturas diferentes. “Inspirado em minha avó, vou por alma na panela. Esse prato é Yêda”, disse ele quando descreveu sua criação pra Claude e Batista. Não poderia ser outro o resultado, embora eu reconheça o talento de seu concorrente na disputa.

Acho que poucquissimas pessoas tem o privilégio de ter participado de todos os lançamentos e eventos que Serginho e Felipe estavam envolvidos. Confesso que em todas as degustações, sempre cheguem impactado em casa, sem querer escovar os dentes, pra aproveitar ao máximo aquelas sublimes comidas.

No Mestre do Sabor não há + times, as provas são individuais, e convoco todos em Alagoas pra entrar na torcida, desejando que Serginho Jucá volte campeão. Nestas voltas que o mundo dá, Serginho deixou de ser o “neto da Yêda”. Agora, Yêda é que é a “avó do Serginho Jucá”.

E eu, feliz e orgulhoso deste meu amigo.

Postado por Felipe Camelo

A Vida Agradece

24.06.2020 às 16:30
Felipe Camelo

Claro que meu trabalho como jornalista, fotógrafo e colunista ficou conhecido principalmente pelas festas e eventos que cobri, mas com esta pandemia que mudou o ritmo do mundo, meu foco, desde março último, é outro.

Por + que eu esteja isolado e mantendo todos os cuidados com segurança e saúde, não posso estar feliz, plenamente bem sabendo de tanto sofrimento e mortes, de conhecidos meus ou não. Não posso me sentir diferente de como estou.

Como cidadão e jornalista, sempre senti necessidade de me manter informado. Sou de ler, perguntar, pesquisar... e neste momento, ainda +. Desde o início, comprovadamente, a única e + segura maneira de barrar a propagação deste mortal Coronavírus é o afastamento social. A falta de vacina ou remédio impede o controle, assim, distanciar as pessoas é a garantia de parar este rápido contágio.

O que escrevo aqui, não é, garanto, panfletagem de esquerdista, que alguns chamam de comunista. Mas é impossível não tocar no assunto. 

Coincidentemente (sic!), tanto nos Estados Unidos quanto aqui no Brasil, a ideologia de “direita” governa, defendendo unicamente o capital, a economia, e lucros, muitos, todos os lucros, mesmo que isso afete drasticamente a mão de obra, os trabalhadores.

Ambas as categorias tem sua importância e se complementam. É impossível a existência de empresários sem os operários, e vice versa.

Até porque, entre os consumidores do que as empresas produzem, nós, trabalhadores, desde que tenhamos poder de compra. Afinal, o volume de consumo das classes “média e baixa” é maior que o da classe “alta”.

Com governos de direita, tanto lá como cá, foco no capital. Impera a ganância, e creio que a consequência é o egoísmo, a ignorância. Serei + claro. Por exemplo, nesta pandemia, se houvesse bloqueio radical, desde o início, com todo mundo respeitando a quarentena, com certeza, já estaríamos nos livrando dela.

Mas não, sempre houve quem escapasse e promovesse festas, festinhas e festões, até torneio esportivo, gente circulando sem máscaras, possibilitando o contágio e a contaminação. Ai, os empresários argumentam que estão perdendo dinheiro sem produzir e vender. E se a classe operária desaparecer, obviamente vai comprometer o consumo.

Donos de restaurantes, academias, salões e barbearias... garantem que tomarão todos os cuidados com a saúde pública e a vigilância sanitária. Sim, acredito, mas estes cuidados todos focam nos clientes, afastando mesas e outras normas. Mas e a segurança dos funcionários, principalmente no deslocamento de suas casas ao trabalho, em transportes coletivos, lotados, sem o menor controle de higiene?

Mundo afora, em todos os países onde o isolamento foi relaxado (porque o número de infectados diminuiu, ou porque os hospitais não estão + lotados...) e o comércio reabriu, o número de casos aumentou, e as cidades estão tendo que voltar atrás, num novo isolamento. Ora, não já ficamos tanto tempo confinados, porque não ficar + 1 pouco, e só relaxar quando houver real controle e segurança? Não vou citar aqui nomes de países e cidades, aqui no Brasil e no mundo, que estão engatando “marcha-ré”.

Não acham muito pior? Muito + arriscado? Muito + caro?  Onde centros de compras já abriram, filas enormes aguardando a hora pra entrar, sem respeitar distância mínima. Aqui em Maceió mesmo, neste dia de São João, teve gente acendendo fogueira na porta de casa. Desculpem, mas é muita ignorância.

Entre graves e fatais consequências deste covid-19,  problemas respiratórios. E alguém sem a menor preocupação com os vizinhos, toca fogo provocando fumaça?!?!? Que humanidade é essa? É só o “vinde a nós”, o “vosso reino” que se dane, é isso? Que egoísmo!!!

Eu? Não quero me indispor nem me afastar de + ninguém, mas sigo com meu coração “de esquerda”, socialista, solidário, e preocupado com todos. É impossível viver sozinho, ser feliz sozinho, nem triste. Creio que precisamos estar todos bem, com a vida plena, comida em casa, contas pagas... Afinal, todos nós temos os mesmos deveres e os mesmos direitos. Inclusive à Saúde. Até pra poder seguir com a vida “normal”, incluindo poder de consumo, base do capitalismo. Concordam??? Sigo desejando que este isolamento social seja + radical, até estarmos todos bem, seguros e livres de contaminação.

O que não consigo é sentir, pensar e calar. É + forte que eu. Amor ao próximo no mesmo grau do amor próprio. Sempre!!!

Postado por Felipe Camelo

Educação? Saúde? Caos!

23.06.2020 às 15:55
Renato Feder - Reprodução

Começo pedindo proteção divina, vamos precisar, de muita. Comprovadamente, 2 pilares garantem qualidade de vida e evolução humana, e que, absurdamente e infelizmente, são as 2 das áreas + atacadas e afetadas neste impensável momento político, a Saúde e a Educação.

Em plena “covídica” pandemia, o Brasil está há muito tempo sem ministro da Saúde. No início, tínhamos 1 médico no comando da pasta, ele, que apesar de não ter sido exemplar como deputado federal, vinha fazendo bom trabalho na Saúde, alinhado com as orientações da Organização Mundial da Saúde, mesmo sem seguir a sofrível ideologia presidencial. Era óbvio que não demoraria no carga. Dançou ele, dançamos nós, o povo.

Nomeado outro, Nelson Teich, que não mostrou “a que veio”, medroso, sem força pra imprimir atitude, passou literalmente calado pelo ministério sem marcar presença, que rima com incompetência. Também perdeu a vez na “dancinha das cadeiras”.

Desde então, enquanto empresários e lojistas pressionam o governo pra liberar o fundamental isolamento social, os números de infectados e mortos só crescem, sem falar nos descobertos casos de superfaturamento (nas compras de equipamentos médicos e de proteção individual), e da coletiva ignorância popular, nenhum ministro foi nomeado.

Temos até hoje, 1 militar sem a menor qualificação pra comandar o ministério no combate ao Coronavírus. Que, pra piorar, concordou em alterar os reais dados da pandemia, pra não bater de frente com o presidente da República. Comoção e protestos generalizados. Mesmo assim,   a situação segue em “banho-maria”, e ele, se mantendo no cargo, “interinamente”. Infelizmente, quanto + o governo minimiza o problema, o Brasil é destaque pandêmico mundial, entristecendo e envergonhando.

Já na Educação, foi nomeado o colombiano Ricardo Vélez, verdadeiro desastre, em todos os sentidos, colecionador de polêmicas. Foi substituído por Abraham Weintraub, que se eternizou por inúmeros absurdos. Trocou 6 por 1/2 dúzia, numa versão ainda + ignorante, não só por atitudes, pensamentos e declarações. Sem falar em suas agressões ao Português, cometendo erros primários, básicos, provocando reações negativas mundo afora.

Sem ter ideia da real importância do cargo que ocupava, se destacava entre os ministros, dando opiniões e declarações sobre assuntos e temas que, definitivamente, não eram de sua função. Provocou problemas diplomáticos, com forte dose de racismo e preconceito. Sofreu tanta pressão que não resistiu e foi exonerado de forma criminosa, assinando como último ato, decreto que prejudica negros, indígenas e deficientes físicos. Saiu fugido, como bandido, entrou nos Estados Unidos com passaporte diplomático (?) como se ainda fosse ministro, e só depois é que sua exoneração foi publicada no Diário Oficial.  Cumplicidade federal. Parece roteiro de filme “trash”.

Mas quem pensou, inocentemente, que seria nomeado alguém melhor, no sentido de + competência, errou “redondamente”. Está sendo cotado como novo Ministro da Educação do Brasil, o atual secretário do governo do Paraná, comandado por Ratinho Júnior (sic!), e indicado por ninguém menos, que Ratinho-pai, que vem recebendo muita grana pra defender o governo federal.

Pois bem, quem não sabe, Renato Feder, é “um milionário CEO da Multilaser, gigante nacional do ramo de tecnologia; e herdeiro do grupo Elgin, mega indústria do ramo de eletrodomésticos”, 2* informações na Imprensa.

Além deste ‘currículo’, Feder se notabiliza por visão empresarial sobrepondo ao básico da Educação, a Pedagogia. Privatização é sua meta, terceirizando, inclusive, muitas funções do setor, como merendeiras e bibliotecários. Não quero me indispor, ainda +, com quem segue a ideologia “da direita”, que prioriza o empresariado em detrimento aos direitos dos trabalhadores, mas é impossível pra mim, concordar com este “vinde a nós”, o “vosso reino” que se lasque, pra não escrever palavrão.

Se for mesmo nomeado, teremos 1 versão “alfabetizada” de Weintraub. O maior perigo, é que esse, sabe exatamente o que fazer, vai desmontar a Educação e entregá-la à iniciativa privada. Ou seja, salvem-se quem puder.

Ah! Observaram que não ‘falei’ do possível novo cargo que Weintraub pretende exercer no Banco Mundial??? 1 assunto vai “puxando” outro, e o texto acaba virando textão. Deixemos pra outras matérias, combinado???

Postado por Felipe Camelo

Contra o vírus, Respeito é Vida

22.06.2020 às 19:06
Reprodução

Me confesso esgotado, exausto mesmo, pelo absurdo comportamento coletiva e generalizada, Brasil afora. Desse irresponsável comportamento, chegaremos rapidinho aos 2 milhões de infectados e sei lá quantos milhares de mortos.

Não sei o que tenho +, se pena ou raiva destes ignorantes... Aqui no Brasil, em varias das cidades que criaram etapas de relaxamento, estão repensando numa novo confinamento. Nos Estados Unidos também, ninguém respeitando as normas de comportamento social, nas cidades que já relaxaram o isolamento) com distanciamento mínimo, uso permanentemente de máscara, limpar sempre as mãos...  o 1º milhão de infectados foi atingido em 3 meses, este 2º milhão, em apenas 8 dias, eu disse 8 (oooito).

É pra lá de assustador, mas muita gente segue negando, se arriscando e pondo em sérios riscos muita gente. Fico horrorizado, apesar de toda cobertura que a Imprensa tem dado ao Coronavírus, frequentando baladas, fazendo festas em casa, frequentando  praias e calçadas de botecos, o que não falta é aglomeração, e ninguém usando equipamento de proteção individual. É assustador, já que os casos de novos infectados, seguem curva acima.

Outro inacreditável e triste dado, o Brasil é o país onde + morrem profissionais de saúde no mundo. Pessoas que deixam suas próprias vidas e famílias pra se dedicarem integralmente ao salvamento de milhares de pessoas. E pra piorar o negativismo da realidade, muitos ativistas que apoiam o governo federal, agridem e desrespeitam quem está empenhado em ações de solidariedade, como por exemplo, mobilizações em homenagem aos que não resistiram ao covid-19 e também aos profissionais envolvidos nesta guerra pela Vida.

Como já publiquei, só saio quando preciso comprar comida pra mim e pra minha ‘pet-filha’, algum remédio ou pagar contas. E confesso que me esgota, me estressa, pelo trabalhão e preocupação com todos os cuidados de segurança, de higienizar tudo o que trago pra casa, higienizar também as roupas e calçados que usei, caprichar no banho... quando termino tudo, quase 1h depois que chego em casa, tô bem cansado, e triste, pelo que vejo na rua, muita gente sem máscara, ou com ela no queixo, e até pendurada no guidão de bicicleta. É verdadeira confirmação de ignorância, e desrespeito, próprio e ao próximo.

Acho chato ficar escrevendo e postando este mesmo assunto, mas, como vidas dependem de outras pra sobreviver, eu aqui, de novo, dando minha opinião. Se o isolamento tivesse sido plenamente entendido e praticado por todos, como deveriam, já estaríamos quase livres deste contágio.

E enquanto isso não for assimilado por todos, seguiremos perdendo pessoas que amamos. Eu, muito triste por tudo isso, mas se estamos vivendo esta pandemia, tem propósito, de se repensar a vida que a humanidade vinha achando normal. E me esforçando pra continuar tendo fé, inclusive na humanidade dos seres ditos racionais.

Postado por Felipe Camelo

Nova Centenária

19.06.2020 às 19:55
Fotos: Reprodução

Tenho forte ligação com Porto de Pedras, de onde tenho as melhores lembranças da infância e adolescência. Mas não é só por isso esta matéria. Você vai ver que tenho vários e importantes motivos pra postar. Além do pessoal.

Começo “falando” de minha família materna, que se consolidou lá, onde sempre passei os verões, com meus pais, irmãos e muitos primos, filhos de meus tios Hélio, Heider e Cidinha, irmãos de minha mãe Hilza, todos filhos de meu avô, Luis da Cunha Lima. Temos até hoje o centenário casarão na rua principal da cidade, cujo atual prefeito, Henrique Vilela, vem realizando excelente trabalho, contando com a ativa e competente participação de sua 1a Dama, Márcia Cunho, neta de meu primo Aloísio, que foi prefeito por muitos mandatos e aos 100 anos de idade, segue lúcido e muito querido pela população que o conhece como “seu Zizo”.

No último dia 9, Porto de Pedras completou 99 anos, proporcionando qualificação, educação e qualidade de vida a crianças, jovens e adultos, que nestes últimos dias se uniram numa coletiva ação solidária, se mobilizando pra ajudar as vítimas das torrenciais chuvas que alagaram e provocaram deslizamentos. Muita gente se abrigando em prédios públicos, e o melhor, quem não foi desalojado tem feito recolhimento porta a porta, de doações pra quem precisa. Verdadeira corrente humana, bonito de se vê.

E por falar em bonito de se vê, o também centenário prédio da antiga cadeia pública está sendo recuperado, valorizando o conjunto arquitetônico da cidade.

Foto: Viviane Antunes Arroxelas

E não podemos encerrar sem citar o incrível trabalho de preservação do peixe-boi marinho, que conta com dedicados especialistas e também com apoio do povo, num projeto que coloca o município na vitrine do mundo, ecologicamente correto. Confesso que pretendo aproveitar meus últimos anos de Vida como  cidadão Porto-Pedrense. Serei ainda + feliz!!!

Postado por Felipe Camelo

Ainda é Tempo de Doar

18.06.2020 às 13:36
Fotos: Reproduções

Como já publiquei, movimento extra na Galeria Gamma estes dias, onde Lenilson José se manteve voluntariamente, recebendo as doações destinadas aos artistas que não estão podendo trabalhar nesta pandemia.

Foram muitas cestas básicas e ‘kits’ com material de higiene pessoal e limpeza. Fotógrafos, artistas plásticos, músicos, escultores... muita gente feliz com o volume doado. Tanto que Verinha Gamma & Dalminho Peixoto atenderam pedidos e prorrogam o encerramento, que seria ontem.

Então, gente de bom coração e as melhores atitudes, até amanhã, das 10 da manhã ao 1/2 dia com o Lenilson,  e o gerente Daniel James estará recebendo as doações, das 2 às 5 da tarde, na Galeria Gamma (n* 899 da Luiz Ramalho de Castro, no Stella Maris, na frente da torre da antiga Telasa Celular), aguardamos + gentileza em forma de solidárias doações.

A campanha “Arte é Vida” ganhou reforço com o show ‘live’ do incrível Marlon Rossi, arrecadando doações também pr’os Guias de Turismo, outra categoria bem afetada pelo fundamental e imprescindível isolamento social, assim como músicos, cantores, artistas, prestadores de serviços e técnicos de espetáculos culturais.

Esta solidária ação já foi publicada aqui no https://painelnoticias.com.br/blogs/felipe-camelo/173013/doe-vida-ganhe-arte e também pela jornalista Iara Malta, que gentilmente agregou força e valor com a matéria http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticia/item/33460-campanha-arrecada-alimentos-a-artistas-alagoanos . As obras de Arte doadas e que foram entregues como presente aos que foram levar as doações fizeram muito sucesso. Linda lembrança de gestos ainda + lindos.

É como sempre digo, quem doa ganha + do que quem recebe. E como ninguém é alguém sem outro alguém, sendo impossível ser feliz sozinho, aguardamos + amor ao próximo como amor próprio!!!

Postado por Felipe Camelo


Felipe Camelo por Felipe Camelo

Felipe Camelo é jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]