Dólar com. 5,218
IBovespa 2,00
14 de agosto de 2020
min. 21º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Festa de Padroeira de Maceió 2020 quer trazer esperança em meio a pandemia
24/09/2019 às 16h31

Blogs

O peixe assassino especializado em "ataques genitais"

Photolibrary


O Candiru (Vandellia cirrhosa), também chamado de canero ou peixe-vampiro, é um peixe de água doce que pertence ao grupo comumente chamado de peixe-gato. Ele é encontrado no Rio Amazonas, no Rio Madeira e nos seus afluentes e tem uma reputação entre os nativos de ser o peixe mais temido naquelas águas, até mais que a piranha. A espécie cresce até dezoito centímetros e tem forma de enguia, tornando-o quase invisível na água. O candiru é um parasita. Ele nada até as cavidades das guelras dos peixes e se aloja lá, se alimentando de sangue nas guelras, recebendo assim o apelido de “peixe-vampiro”.

O candiru ganhou notoriedade por ter o inconveniente hábito de penetrar no pênis pela uretra, na vagina ou no ânus de banhistas desavisados e por se instalar no interior dos genitais.

O candiru é atraído pela urina e não faz distinção entre homens ou mulheres como ocorre com o pacu, que prefere mordiscar os rapazes. E imagine só o sinistro panorama: ao penetrar pelos “orifícios” dos hospedeiros, o peixinho — que além de ser atrevido se alimenta de sangue! — provoca pequenos cortes e só pode ser removido através de cirurgia, devido ao formato de guarda-chuva de suas nadadeiras. 

O problema é que em alguns casos as vítimas podem sofrer hemorragias sérias e infecções, além de até morrer por conta da ação do parasita. Apesar de muita gente acreditar que os ataques do candiru não passam de lendas urbanas, a verdade é que existem vários registros sobre vítimas desse monstrinho. Aliás, segundo o portal G1, em 2017 pelo menos quatro pessoas foram “invadidas” pelo candiru e precisaram de hospitalização urgente.

Portanto, para evitar encontros desagradáveis com o peixinho atrevido, uma das precauções é bem parecida à tomada com respeito aos ataques do pacu “arranca-bagos”, ou seja, nada de entrar em rios nu. Além disso, evite nadar com calções e biquínis folgados e, na hora de fazer xixi, saia da água!


 

*Mega Curioso


Cultura Inúltil por Redação

O inusitado, o diferente, o incrível, você encontra aqui, no Cultura Inútil: o blog que revela o sentido de coisas sem o menor sentido.


Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]