Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
24 de agosto de 2019
min. 22º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Saiba como será a abertura do comércio no Dia da Padroeira de Maceió

Blogs

A fashionista Iris Apfel

15.04.2019 às 00:01

A paixão pelos tecidos é uma história antiga, ocorreu ainda menina na boutique de sua mãe.

 Iris estudou história da arte, aprendeu moda, participou de projetos de restauração na Casa Branca, atuou em campanhas publicitárias, “causou” desfilando pelas ruas com calça jeans quando poucas ousavam, posteriormente com óculos gigantes, roupas exóticas, misturas coloridas de colares e pulseiras de bolas... Expôs suas roupas e acessórios no Metropolitan Museum of Art, fez parcerias, registrou a sua vida em livros e documentários, não parou um só minuto para tomar fôlego.  Conforme ela, "se aposentar é pior que morrer. Há tantas coisas esperando para ser feitas no mundo”.

 A nova-iorquina é uma referência de comportamento para muitos, especialmente para profissionais que trabalham com imagem, pois imagem nada mais é do que a construção da autoimagem, coisa que Iris Apfel tira de letra.

Hoje essa mulher incrível, criativa e irreverente de 97 anos, ícone de uma marca que ela criou sem a menor intenção não podia passar despercebida até mesmo pela agência que consagrou Gisele Bündchen.  Iris, hoje, modelo contratada pela IMG, também foi boneca da Barbie.

Em sua passagem pelo Brasil:

 "Todo mundo tem que começar de alguma forma, eu comecei no WWD como uma copy girl. Ser uma copy girl significava pegar papéis nas impressoras e ir levando de um editor para o outro. Apesar de ganhar 15 dólares semanais, eu amava o que fazia, mas tive que sair quando percebi que as pessoas cujas posições eu poderia vir a ocupar eram muito velhas para engravidar ou muito novas para morrer".

 "Me falaram que eu ia encontrar apenas coisas made in China no Brasil, mas fui a feiras maravilhosas, que mantêm viva a cultura daqui. Comprei algumas coisas e confesso que se a alfândega deixar, eu vou levar muitas coisas para casa e até mesmo pendurá-las em mim".

                                   

Postado por A Arte De Ser Você

A Psicologia das Cores

11.04.2019 às 00:01

 

Antes de esclarecermos a teoria, importante destacarmos um dos órgãos que faz parte do sistema sensorial. A visão. Ela é responsável por processar todas as informações obtidas externamente para o cérebro humano e assim identificar, analisar e transformar. As cores exercem influência no comportamento, nas emoções e nos sentimentos, através das sensações que essas informações provocam. É quase intuitivo e, também um estudo antigo.  Estudiosos como o filósofo alemão, Johann W. Von Goethe publicou o seu livro a Teoria das Cores em 1810, depois no início do século XX o escritor, professor e pintor suíço Johannes Itten, associado à escola Bauhaus, inspirado por Isaac Newton, desenvolveu o disco de cores que permitia descobrir as combinações, a caracterização em termos de temperatura e a harmonia das cores. Durante 50 anos ele se dedicou as pesquisas e relacionou as cores pessoais com os talentos individuais, vocação e personalidade.

 Suzanne Caygill, movida por Itten, considerada pioneira em consultoria de imagem criou a análise de coloração pelo método sazonal, ou seja, ela acreditava que as variações das cores das estações do ano incidia diretamente na aparência e harmonização pessoal, também nos aspectos físicos e psicológicos dos seres humanos.

Muitos outros especialistas ao longo dos anos deram a sua contribuição, Chevreul, Munsell, Robert C. Dorr, Carole Jackson Bernice Kentner, Donna Cognac, a socióloga e psicóloga alemã, Eva Heller aprofundou seu conhecimento  sobre as emoções advindas das cores. O aporte de todos se estendem aos dias de hoje nas artes visuais, nas terapias, no design, no marketing, na arquitetura, na publicidade, na moda, na beleza, na psicologia.

A “Psicologia das Cores” de Eva Heller é um dos livros mais completos, um clássico, que não pode faltar nas prateleiras dos profissionais que lidam ou pretendem passar uma mensagem por meio das cores. Percebam como as cores dos saguões e quartos de hospitais, consultórios, escritórios modificaram com o tempo. É o caso também de muitas empresas famosas, hotéis e franquias de fast food. Hoje a colorimetria tem respaldo científico, é muito respeitada. Quem não conhece ou já ouviu falar sobre Pantone, às guias que orientam profissionais de múltiplos ramos com as suas cores, fundada em 1962 por Lawrence Herbert?  Pois é. 

Esse assunto é muito extenso, aos poucos comentarei aqui.  Mas, na psicologia das cores há de se levar em conta todas as características como o simbolismo, a dimensão, a iluminação, a temperatura, o peso e a cultura de cada região.

                                         

Postado por A Arte De Ser Você

As cores de Rieu

08.04.2019 às 00:02


Andre Rieu, violinista, idealizador e regente da Johann Strauss Orchestra,nascido em Maastricht, uma bucólica cidade dos países baixos encantou uma legião de pessoas com seu jeito bem humorado,  alegre, carismático, divertido e ousado,  cujas palavras encorajadoras na ponta da língua, “se  você sentir vontade de dançar, faça-o”, durante seus concertos, contrapondo-se às formalidades de orquestras mais conservadoras, fez com que muitos paradigmas fossem quebrados.

 Mesmo que não haja unanimidade na aceitação de seu trabalho, o músico explodiu, alcançando e agradando crianças, adolescentes e adultos de diferentes culturas e classes sociais. A verdade é que seu desempenho no palco, a imponente cenografia, solistas e instrumentistas com seus vestidos de princesa de mangas bufantes,  fascinaram o grande público, tornando-o  mundialmente conhecido.  A estética, algo que salta aos olhos, é um convite à fantasia.

 O guarda-roupa dos artistas é uma estratégia muito bem sucedida para chamar atenção visual sobre eles, na valorização de cada ser, em particular. O figurino escolhido com a participação dos próprios músicos, sempre em harmonia com o contexto do evento, traz uma diversidade de elementos.  Elementos condizentes com as várias nacionalidades que compõem o conjunto, trazendo à tona os diversos mundos da indumentária, bem como os sonhos de cada um, embalados pelas belas canções.

 É uma explosão de cores e, de possibilidades!

A cor incita. Ela mexe com as emoções e com os sentimentos das pessoas, remete ao desejo, à gula, a confiança, a ternura, a delicadeza, a empatia, a energia, a liberdade, a espiritualidade, a paz. Cores essas, tão bem acolhidas pelo “Embaixador das Valsas”.   

   

Postado por A Arte De Ser Você

O "Pretinho Básico"

04.04.2019 às 00:01


O pretinho básico, que de básico não tem nada, foi criado pela revolucionária estilista francesa, Coco Chanel, na década de 60.  O conceito “básico” é por sua modelagem mais moderna, democrática, elegante, sem a finalidade de chamar atenção. Impossível! Depois de Audrey Hepburn desfilar graciosamente com seu pretinho em Bonequinha de Luxo, a sofisticação se disseminou e caiu no gosto popular.


É considerada uma peça versátil, já que tudo combina com a cor. Cor ou ausência de cor? Muitos ainda duelam na resposta. A verdade é que antes da beldade dar luz ao preto, ele foi estigmatizado na idade média como a cor da morte, do mistério, da dor, da solidão, da maldição, da opressão. Mesmo depois desse período, os artistas plásticos eram censurados ao adotarem “obscuridade” em suas obras, trazendo discussão em torno do tema e desconforto entre eles.


 “A não cor” foi se tornando cor com o descobrimento das Américas, o campeche, a grande estrela encontrada na América Central, tornou viável a mistura de corantes, enobrecendo e honrando,  hoje, o amado pretinho pelos estilistas e por todos nós, reles mortais. Um contraponto com a morte, mas falando de vida. Pois, depende de nós darmos-lhe vida.


Entretanto, parece que algumas coisas não foram inteiramente superadas. A cor preta  simboliza altivez, poder, sobriedade, mas também melancolia e sinal de perigo. A tarja preta não me deixa mentir. Pelo sim, pelo não, é melhor a noiva casar de branco, diz a tradição.


Como consultora, afirmo que tudo é bonito quando se tem luz própria. Abuse do sorriso, de preferência com um lindo batom vermelho tom de carmim. 


[email protected]  

Postado por A Arte De Ser Você

O universo das cores, do qual fazemos parte

01.04.2019 às 00:01

O que é colorimetria pessoal e qual a sua importância? 

É o estudo das cores que determina os tons que realçarão a sua beleza natural.  Com este conhecimento, você, homens e mulheres farão escolhas certas, valorizando, suavizando e iluminando seus traços. O ganho é para toda vida. A partir desse passo você dará outros passos com confiança ao consumir moda e beleza. Saberá fazer seleções conscientes e, economizar. 

Muitas vezes, compramos algo, um investimento altíssimo e ao colocarmos no nosso corpo, percebemos desarmonia. É notório, impactante e sem entendermos o “fenômeno”, nos desapontamos. A explicação é simples e vem desde Isaac Newton, quando o mesmo constatou a dispersão da luz branca sobre um prisma de vidro, dando origem a inúmeras outras cores. Foi através dessa descoberta que o cientista começou seus estudos sobre as cores dos corpos.

 Estamos, intrinsecamente, inseridos na natureza que nos rege. Daí o meu amor incondicional pelas cores e pelo método sazonal expandido, àquele que lindamente sugere que cada um de nós representa uma estação do ano.

Postado por A Arte De Ser Você


A Arte De Ser Você por Lucinha Saraiva

Profissional de Marketing Pessoal e Marketing Empresarial, atuou em estratégia colaborativa de negociação, ministrou etiqueta social, orientou e acompanhou eventos corporativos entre outras demandas solicitadas por empresas contratadas. Atualmente é consultora de Imagem e Estilo com conhecimento em moda e colorimetria . Criou "A Arte de Ser Você” com o propósito de ajudar as pessoas na autoestima, através de elementos simples e acessíveis.

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]